28/02/2013 às 17h22min - Atualizada em 28/02/2013 às 17h22min

Veja o vídeo com suposta pescaria de fiscais da Sema durante piracema

Olhar Direto
Olhar Direto

A gravação enviada ao deputado estadual Zeca Viana (PDT) mostra fiscais da Sema dentro de um barco supostamente pescando durante uma operação de fiscalização no rio Culuene, em Paranatinga, no inicio do ano. O vídeo foi gravado pelos próprios funcionários e vazou através do servidor Sidineis Viana de Souza que remeteu a gravação ao parlamentar. O denuncia anexou também documentos de um esquema de diárias que também estaria ocorrendo na regional de Barra do Garças.

A equipe do Olhar Direto teve acesso ao vídeo onde mostra o barco com um fiscal manuseando um molinete e outro com aparador tentando pegar um peixe. Num certo momento, os agentes da Sema vibram porque conseguiram pegar um exemplar de jaú. Os servidores José Augusto César Luz, José Cazuza, Silmar Jorge e Eder Moreira Neves estavam na operação mencionada.

Sidineis diz que os fiscais estariam pescando mesmo e se beneficiando de diárias. O diretor da Sema, Cleber Fabiano, diz que o vídeo foi editado pois só mostra os fiscais pegando os peixes, mas não mostra a soltura que ocorre na sequencia.

Cleber esteve em Cuiabá, terça-feira, onde prestou informações diretamente ao secretário estadual José Lacerda. O diretor explica que a denúncia foi formulada por servidor ligado ao deputado estadual Adalto de Freitas (PMDB) que estaria com intenção de derrubá-lo (Cleber) do comando da Sema.

“Existe dois grupos dentro da Sema aqui na Barra ao ponto de prejudicar nossa ação. Tem operação que deveria ser sigilosa, mas quando a gente chega na beira do rio, os pescadores já ficaram sabendo inclusive recebem a gente com cafezinho”, frisou.

O diretor barra-garcense afirmou que está disposto a colocar o assunto em pratos limpos, mas se continuar a dipsuta interna dentro do órgão, ele prefere deixar o cargo para não prejudicar a Sema. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%