30/11/2017 às 16h17min - Atualizada em 30/11/2017 às 16h17min

Prefeito diz que é inocente e não cederá a chantagens de vereadores

Araguaia Notícia
A Câmara Municipal de Aragarças-GO começou a ouvir nesta quinta-feira (30/11) as testemunhas de defesa do prefeito José Elias Fernandes (PROS), que está sendo submetido a uma comissão processante (CP) para apurar possíveis irregularidades do gestão aragarcense. Os depoimentos foram acompanhados pelo prefeito que esteve no legislativo acompanhado da esposa Mara Nei, dos advogados João Rodrigues e Luiz Paulo e correligionários.

Durante entrevista a imprensa, José Elias voltou a dizer que é inocente e alegou que está sendo vítima, do que ele chamou ‘de conluio de oito vereadores’ que estariam unidos para cassá-lo a qualquer custo do cargo. “Parece que é uma ‘birra pessoal’ destes vereadores contra mim porque não procedem as acusações contra mim, mas mesmo assim insistem em levar este processo adiante”, completou.

Em tom de desabafo, José Elias reclamou do que ele chamou jogo de chantagens de alguns parlamentares sem citar nomes e exemplificou o que teria ocorrido com ex-prefeito Aurélio Mendes. “Eu não vou ceder as pressões de vereadores. Vejam o que fizeram com Aurélio que hoje infelizmente está doente numa cama porque foi massacrado durante o mandato dele e muitas das vezes porque aceitou a imposição de vereadores. Podem até me derrubar do cargo, mas cederei a nenhum tipo de capricho”, frisou.

Sobre as denuncias, o gestor aragarcense ponderou não participou da comissão organizadora da praia onde os vereadores alegam que houve irregularidades e que o gasto considerado excessivo de diárias é previsto em lei. Os vereadores preferiram não comentar as declarações do prefeito e disseram que estão cumprindo o papel deles: de fiscalizar as denuncias contra o executivo.

A comissão processante está chegando na reta final após ouvir as testemunhas de defesa será a vez de acompanhar o depoimento do prefeito José Elias para dar um veredicto final. Vale destacar que a justiça de Goiás anulou o afastamento direto do prefeito como queria a Câmara Municipal no início e agora se espera o resultado final da comissão processante. 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.2%
24.4%
1.4%