19/10/2017 às 21h11min - Atualizada em 19/10/2017 às 21h11min

José Elias desafia provarem que fez ato ilícito na prefeitura de Aragarças

Araguaia Notícia
O prefeito afastado, José Elias Fernandes (PROS), concedeu na quarta-feira (18/10) a sua primeira entrevista após a decisão da Cãmara Municipal que lhe afastou pelo prazo de noventa dias para fazer uma comissão processante (CP) que apura possíveis irregularidades cometidas pelo gestor.

José Elias, que é delegado de polícia aposentado e já foi deputado estadual, disse que foi pego de surpresa com a decisão do legislativo que o afastou do cargo. “Eu estou tranquilo de que não fiz nada de errado e desafio qualquer pessoa a provar um ato ilícito meu na prefeitura, se provarem eu renuncio ao mandato”, frisou.

José Elias iniciou a entrevista falando sobre a polemica das diárias de que ele estaria gastando excessivamente na prefeitura. “O decreto que regulamenta o uso de diárias do município foi estipulado em 2013 na gestão passada (Aurélio Mendes) e eu simplesmente estou utilizando diante das viagens que faço para conseguir recursos em Goiânia e Brasília”, explicou.

Sobre a denúncia de que teriam três funcionários fantasmas na prefeitura, o prefeito afastado disse que os servidores foram afastados no mês de março e que eram servidores que atuavam na Educação na elaboração de projetos pedagógicos. O prefeito afastado disse que outro fato mencionado na denúncia sobre desvio de recursos da praia não teria procedência. “Havia uma comissão que utilizava os recursos da praia para custear despesas do festival com alimentação e montagens. Esse controle era feito por alguns secretários e funcionários sem a participação do prefeito”, destacou.

José Elias reclamou que a Câmara Municipal teria recebido a denuncia na semana passada elaborada por dois eleitores e não teria feito à checagem correta e assim mesmo o afastou da prefeitura. “E para completar eu fui notificado somente na quarta-feira depois que eles deram posse ao vice e a cidade ficou com dois prefeitos na terça-feira” comentou.

A defesa de José Elias teve acesso à documentação da Câmara na quarta-feira e os advogados Luiz Paulo e Célio Sanches (Goiânia) já entraram com um pedido de mandado de segurança. O prefeito encerrou a entrevista dizendo que não aceitará a maculação de sua honra diante da população.

“Independente dos vereadores gostarem ou não de mim. Eu vou lutar para provar a comunidade que não fiz nenhum ato ilícito e estou sendo afastado por uma ingerência política dos vereadores que não gostam de mim”, finalizou.

Os vereadores Marcivon e Alcione Olimpio disseram ao site Araguaia Notícia que não existe perseguição ao prefeito José Elias e que ele não foi notificado na terça-feira porque a comissão não teria conseguido localizá-lo em tempo. Zé disse que estava na cidade na terça-feira. A prefeitura aragarcense está sendo administrada agora pelo vice-prefeito Léo Leão (PMDB), que é cunhado de José Elias. As esposas dos dois são irmãs.
 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.1%
4.8%
17.6%
76.5%