23/09/2017 às 00h14min - Atualizada em 23/09/2017 às 00h14min

Jornalista é ameaçado de morte e agredido por deputado em MT

Midia News
Jornalista disse foi agredido com uma cotovelada do deputado estadual Oscar Bezerra
Um jornalista afirmou ter sido agredido e intimidado pelo deputado estadual Oscar Bezerra (PSB), na tarde de quarta-feira (20), em Juara (709 km ao Norte de Cuiabá). O profissional afirmou que o caso ocorreu após publicar reportagens contrárias ao parlamentar e à esposa dele, a prefeita do município, Luciane Bezerra (PSB).
 
O repórter Maurílio Trindade, do jornal A Folha do Vale, afirmou que foi agredido por Bezerra quando estava em frente à Escola Estadual Luiza Nunes Bezerra, em Juara, distribuindo exemplares de seu periódico. Trindade declarou que aguardava a chegada do governador Pedro Taques (PSDB), que estava na cidade realizando a “Caravana da Transformação”.
 
Ele disse que, enquanto aguardava o chefe do Executivo Estadual, por volta das 15h30, o deputado e a prefeita chegaram à escola. Logo que avistou o jornalista, Oscar Bezerra teria ido em direção a ele. “Ele me viu, largou a mão da esposa e foi em minha direção. Eu ainda estava em frente à escola, quando ele se aproximou, me abordou e me cumprimentou firme. Até estranhei”, disse Trindade.
 
De acordo com o jornalista, Oscar Bezerra teria criticado reportagens publicadas no jornal. Os textos tratavam da delação do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), que mencionou que o parlamentar e a esposa teriam recebido propinas, durante sua gestão no Palácio Paiaguás.

“Eu escrevi matérias sobre os vídeos com a esposa dele e todo esse esquema de corrupção. Mas, eu sempre coloquei as justificativas que eles davam para tudo isso. Porém, eu nunca havia encontrado o Oscar, depois que as matérias foram publicadas”, disse o jornalista.
 
Luciane Bezerra foi filmada enquanto recebia R$ 100 mil, no gabinete do ex-assessor de Silval Barbosa, Sílvio Corrêa. O valor seria correspondente a um “mensalinho”, pago a parlamentares para aprovarem projetos do peemedebista. No entanto, o casal nega ter recebido qualquer vantagem indevida, durante a gestão de Silval Barbosa.
 
Trindade relatou que Bezerra teria pedido para que ele parasse de escrever reportagens sobre o parlamentar e sua família. “Ele me disse: ‘Você não me conhece’. E ainda falou que eu deveria parar de distribuir os meus jornais”, contou.
 
Depois do comentário, ele disse que o parlamentar largou a mão dele e, posteriormente, desferiu uma cotovelada em seu rosto. “Eu achei que o deputado fosse embora, depois que largou a minha mão, mas logo ele acertou o cotovelo no meu rosto”, disse.
 
O golpe do parlamentar teria acertado uma região abaixo do nariz do jornalista, que teria começado a sangrar.
 
“O deputado ia vir novamente, para me agredir ainda mais, mas o seguraram. Se não tivesse ninguém por perto, se estivessem apenas o deputado e grupo dele, não sei o que ele seria capaz de fazer”, afirmou.
 
Trindade chegou a fazer raio-x e constatou que nenhum osso do rosto foi quebrado durante a pancada.
 
O jornalista registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil contra o parlamentar e fez exame de corpo de delito.
 
Intimidação
 
Logo depois do ocorrido, o jornalista disse que foi impedido pelo deputado de entrar no evento da escola estadual. Ele disse que foi para casa. 
 
Alair Ribeiro/MidiaNews
Oscar Bezerra

Oscar Bezerra

Deputado é acusado de agressão contra jornalista, na quarta-feira, em Juara
“Mais ou menos uma hora depois, decidi ir embora, para escrever a matéria sobre o ocorrido, para que as pessoas soubessem da situação”, afirmou.
 
Trindade disse que, pouco depois que chegou em casa, oito homens chegaram ao local, supostamente a mando de Oscar Bezerra, para intimidá-lo.
 
“Os homens não disseram os nomes. Eles falaram que queriam recolher meus jornais, mas eu disse que só permitiria se houvesse um mandado judicial”, contou.
 
Um deles teria chamado o jornalista para conversar a sós e teria pedido que Trindade parasse de escrever sobre o deputado estadual.
 
“Esse homem, que depois descobri que é casado com uma irmã do deputado, me perguntou o que poderiam fazer para que eu não fizesse mais matérias sobre o Oscar, e também para que eu não registrasse nenhum boletim de ocorrência sobre a agressão”, disse.
 
“Eu falei que o meu interesse não era arrumar confusão. Expliquei que meu objetivo era informar fatos que foram noticiados nacionalmente”, completou.
 
Ele disse ter sido intimidado para que não continuasse escrevendo sobre o parlamentar e a prefeita de Juara.
 
“Esse cunhado do Oscar me disse para não escrever mais nada, pois seria melhor para mim. Ele não me ameaçou diretamente, mas tentou me intimidar. Mas, pra mim, tudo o que ele me pediu é um absurdo”, declarou.
 
Outro lado 
 
A reportagem tentou contato com o deputado Oscar Bezerra, porém as ligações não foram atendidas até a edição desta matéria.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%