19/06/2011 às 17h25min - Atualizada em 19/06/2011 às 17h25min

Sobrinho de Farias lidera pesquisa em Canarana

Rdnews
Reprodução

O secretário de Saúde de Canarana, Fábio Farias (PR), lidera a corrida à sucessão do prefeito Walter Lopes Faria, do mesmo partido. Ele é sobrinho do prefeito. Os dados são apontados pelas pesquisas estimulada e espontânea realizadas pelo instituto Mark nos últimos dias 29 e 30 de maio. A margem de erro é de 4% para mais ou para menos.

Na estimulada, situação em que os entrevistados opinam com base numa lista de virtuais concorrentes, Fábio impõe 8,6 pontos percentuais de vantagem sobre a segunda colocada, a atual vice-prefeita Marilei Biernega, a Nêga (DEM). O republicano figura com 26,8%, seguido pela democrata, que aparece com 18,2% e fica no empate técnico pela segunda colocação com do ex-prefeito Edvaldo Diel (PP), citado por 15,7% dos eleitores. O empresário peemedebista Saul Colissi detém 12,1%, enquanto o vereador Mauro de Souza Vieira (PR) fica na “lanterna”, com 2,5%.

Na espontânea, Fábio também aparece na liderança, com 15,2% das intenções de voto. Nêga e Edvaldo voltam a dividir o segundo lugar. A vice-prefeita aparece com 8,1%, enquanto o ex-gestor do PP figura com 5,6%. Saul é citado por 1,5%. O ex-vereador João Castro tem 1%, mesmo percentual obtido pelo ex-secretário estadual de Agricultura, Neldo Egon Weirich (PR), suplente do partido na Assembleia. Mauro e Orlando têm 0,5%, cada.

Prefeito do município entre 2000 e 2004, Edvaldo é o nome mais rejeitado à sucessão de Walter Faria. Mais de 20% dos eleitores declararam que não votaram no pré-candidato do PP, caso a eleição fosse hoje. Outros 11,1% deixariam de eleger Fábio, enquanto 10,1% rejeitam Saul. A vice-prefeita Nega figura com 6,1%. Mauro é o menos rejeitado, com 5,6%.

Os dados foram obtidos pelos pesquisadores do instituto Mark em 16 bairros de Canarana. Foram ouvidos 198 eleitores, sendo 86,9% da zona urbana e 13,1% da zona rural. Destes, 47% são mulheres e 53% homens. Em relação à idade, 28,3% dos entrevistados têm entre 25 e 34 anos e, 24,7%, entre 35 e 44 anos. Quanto à escolaridade, 38,9% declararam ter o 1º grau completo e/ou não ter concluído o segundo grau e, 27,8%, têm o ensino médio completo e/ou não terminaram a faculdade. Sobre à renda, 74,2% recebem de um a cinco salários e, 22,2%, de cinco a 10 salários mínimos.


Notícias Relacionadas »
Comentários »