19/09/2017 às 14h51min - Atualizada em 19/09/2017 às 14h51min

Santa Terezinha sofre muito com a fumaça das queimadas

João Evilson/Vip Araguaia
Todos os anos nesse período de setembro até o início das chuvas, a população de Santa Terezinha sofre muito com a fumaça causada pelas queimadas, bem como sofrem também grandes prejuízos por causa  do fogo.

Na última sexta feira um  fogo de grande proporção assustou moradores da cidade de Santa Terezinha/MT. Segundo informações, o fogo teve início nas proximidades da Praia do Avião, a 6 km da sede do município, O fogo, chegou nas proximidades da cidade no período da tarde de sexta feira dia 15, queimando tudo pelo caminho, chegando até começar a queimar alguns esteios de sustentação da ponte que fica sobre o córrego Furo de Pedra na MT 413 próxima à cidade.

Uma equipe da Prefeitura Municipal, Secretário de Obras Geraldo e seu pessoal, Engenheiro Civil Thyago e o Cariri e sua equipe da empresa que realiza a limpeza da cidade, tiveram muito trabalho para controlar o fogo, a equipe que dispunham apenas de um  Pipa da Prefeitura, tiveram muito trabalho na tarde de sexta até a madrugada de sábado, aonde conseguiram o controle nas áreas mais críticas  às 04hs da manhã de hoje. O funcionário Vinicius da empresa de energia Energisa, também esteve de plantão e ajudando no controle para que as chamas não chegasse na Sobestação de energia da cidade.

O fogo com chamas altas chegou a poucos metros da cidade, colocando em risco os moradores das ruas próximo ao fogo.

 Outro fogo também iniciou na sexta no entorno do Lixão da cidade chegando a queimar pastos nas propriedades vizinhas causando prejuízos aos proprietários dessas áreas.

Segundo nos informou o secretário de Obras do município Geraldo, não conseguiram apagar todo o fogo por causa da pouca estrutura para realizar esse serviço, más o mesmo está sob controle e a equipe continuará de plantão no local para pelo menos tentar não deixar aumentar e se espalhar para outros locais.

A equipe da Prefeitura em parceria com os proprietários de áreas rurais estiveram muito ocupados neste final de semana combatendo mais focos de incêndio em áreas próximo ao Seringal, Fazenda Rema e Fazenda Trigrão.

Todos os anos no período de julho a outubro, o município de Santa Terezinha sofre muito com essas queimadas, tanto as que são causadas na ilha do Bananal que este ano começou no início de julho, como as  causadas nas áreas de varjão que se estendem até a comunidade de Lago Grande. Muitas dessas queimadas adentram nas áreas de matas e em propriedades rurais, causando enormes prejuízos, tanto para os proprietários destas áreas como para o meio ambiente.

Esses fogos são causados por ações humanas, bem como por combustão natural como nas áreas de varjão que esse processo está mais propicio pra ocorrer, mas a grande maioria mesmo é causado por ações humanas, tanto direta como indiretamente, por fogos que não são apagados direito por pessoas que acampam nas beiras dos rios, bitucas de cigarro jogadas sem apagar, latas de cervejas e vidros deixados nessas áreas. Com o clima seco, temperatura alta e muito vento, as latas e vidros refletem os raios do sol e provocam pequenas chamas que se tornam grandes queimadas, principalmente na área de lixão aonde esses objetos são em grandes quantidades e provocam fogos constantes nesse período.

O fluxo de atendimento no hospital municipal sempre aumenta nessa época, atendendo pessoas que passam mal por causa da fumaça, principalmente as crianças e idosos.

Vale lembrar também que o período de proibição para realização de queimadas em Mato Grosso foi estendido até o dia 30 de setembro deste ano, para todos os tipos de queimadas, mesmo as realizadas sob controle em áreas rurais.
 
Como a situação é crítica devido à pouca estrutura que o município recebe para realizar o combate às queimadas e a falta de uma brigada que tem um custo um pouco elevado para as condições financeira do município, todos  torcem para que as chuvas chegam logo para resolver a situação das queimadas no município.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%