05/09/2017 às 17h15min - Atualizada em 05/09/2017 às 17h15min

Assassinato de italiano completa um ano e três acusados são presos em MT

A Polícia Civil voltou a prender a ex-mulher do italiano, namorado dela e agora um detento que teria participado do crime

Araguaia Notícia
A Policia Civil de Barra do Garças cumpriu no mês de agosto três mandados de prisão preventiva contra os acusados de envolvimento na morte do italiano, Alessandro Carrega Dal Pozzo, 63 anos, que era pecuarista em Mato Grosso e foi assassinado com três tiros de revolver calibre 38 em agosto de 2016.

O crime aconteceu na casa do italiano e somente foi descoberto dias por causa do mau cheiro que os vizinhos perceberam. As investigações para chegar a autoria do crime somente começaram em outubro depois de muita pressão da família e até mesmo participação do consulado italiano. A 1ª DP de Barra do Garças assumiu a investigação do caso.

Os delegados Adriano Alencar e Renato Resende passaram acompanhar os indícios repassados pela família e pediram a prisão temporária da ex-mulher do italiano: Tatiane Lourenço que estaria envolvida no crime juntamente com o namorado dela, o agente penitenciário Célio Mariano.

Na época, eles negaram o crime e foram postos em liberdade após a temporária de trinta dias. As investigações continuaram atendendo um pedido do consulado italiano no Brasil que inclusive disponibilizou um policial italiano para auxiliar na elucidação do homicídio e a um pedido também do Ministério Público. A novidade é que a 1ª DP de Barra do Garças chegou também a prisão de Witalo Yan apontado como autor dos disparos que ceifaram a vida do pecuarista.

O motivo do crime, segundo a Polícia Civil, teria sido uma disputa pelo patrimônio do italiano avaliado em torno de R$ 10 milhões. Tatiane que estava separada do pecuarista estaria de olho nos bens do ex-marido. De acordo com a Polícia Civil, Tatiane e o namorado combinaram o crime e chamaram Witalo para participar.

Witalo, que já estava preso por outro motivo na cadeia de Barra do Garças, teria sido o individuo que entrou na casa do italiano e efetuou os disparos porém ele contou com ajuda de alguém que conhecia o ambiente inclusive os cachorros da vítima. No etanto, ele nega o crime. Aliás, os três negam participação na morte do italiano.

O delegado Adriano Alencar informou na terça-feira (5/9) que em breve concederá uma entrevista coletiva com mais detalhes de como ocorreu o crime e as motivações no entendimento da polícia.

Além da participação do consulado italiano, a família do pecuarista contratou advogados em Barra do Garças para acompanharem as investigações e colaboraram fornecendo informações sobre a vítima. Recentemente a justiça determinou que a Defensoria Pública fique como curador do patrimônio do italiano enquanto desenrolar a investigação.
 
Furto de Land Rover

Três dias depois de homicídio, um veículo Land Rover, pertencente à vítima, foi furtado. O fato levou as investigações a serem desenvolvidas em conjunto com a Delegacia de Roubos e Furtos de Barra do Garças, que num esforço integrado, tiveram informações do paradeiro do veículo e das pessoas que, possivelmente, teriam negociado o carro com terceiros, a priori, sem relação com o crime de homicídio.

"Ao serem intimados, informaram quem foi a pessoa que teria subtraído o veículo da casa em que residia o italiano Alessandro Carrega. Tais informações levantadas até o presente momento foram aptas a gerar suspeitas em dois possíveis autores. Diante das informações levadas ao Ministério Público e Poder Judiciário foram expedidos dois mandados de prisão temporária”, completou o delegado.

As investigações do homicídio do empresário italiano seguem no sentido de apreender o veículo Land Rover, ouvir testemunhas e verificar a versão apresentada pelo defesa dos suspeitos.

Os nomes dos dois presos investigados não foram revelados, diante da necessidade de buscar indícios de autoria. Os delegados afirmaram que vão aguardar a conclusão dos trabalhos para apresentar o resultado à população de Barra do Garças e região, sempre com profissionalismo e respeito aos cidadãos, determinação esta do delegado regional, Adilson Gonçalves.
 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%