23/08/2017 às 16h31min - Atualizada em 23/08/2017 às 16h31min

Funcionário de farmácia é demitido após cair no ‘gemidão do WhatsApp’

Após ser dispensado por justa causa, motoboy conseguiu reverter decisão na Justiça. Empresa alegou constrangimento e prejuízos

G1 / Mais Goiás
O ‘gemidão do WhatsApp’ fez mais uma vítima em Natal, no Rio Grande do Norte. Desta vez, as consequências foram além do constrangimento e o funcionário acabou sendo demitido pela farmácia por “maus hábitos”.

O episódio, segundo a farmácia, afastou os clientes do estabelecimento, que saíram sem comprar os produtos. O funcionário, por sua vez, entrou com uma ação na Justiça do Trabalho e conseguiu reverter a demissão por justa causa.

Durante a audiência, o motoboy afirmou que estava em horário livre e que a brincadeira é algo comum no app de mensagens. A juíza Isaura Maria Barbalho Simonetti acatou os argumentos do motoboy e decidiu a favor do funcionário.

O caso aconteceu em janeiro de 2017, mas só foi divulgado após uma decisão judicial, proferida na última sexta-feira (18). Funcionário da empresa desde maio 2014, o motociclista não teria direito a alguns direitos concedidos a quem perde o trabalho se a justa causa tivesse sido mantida – caso do saque ao FGTS e seguro-desemprego. Ele alegou que caiu involuntariamente em uma pegadinha enviada pelo aplicativo de troca de mensagens durante seu horário livre.

Para a juíza Isaura Maria Barbalho Simonetti, da 5ª Vara do Trabalho de Natal, é incontestável que o trabalhador utilizou o aplicativo durante o expediente e que assistiu a um vídeo pornográfico. Porém, a magistrada considerou que não existem provas que a intenção do empregado era causar constrangimento. As comprovações quanto aos prejuízos que a farmácia alega também não teriam sido apresentadas.

A juíza também apontou que a empresa não apresentou com exatidão o número de clientes presentes no momento, se houve reclamações formais ou queda nas vendas após o episódio, sequer foi apresentada estimativa do prejuízo. Para ela a demissão por justa causa deve ocorrer quando não restar dúvidas acerca da intenção do empregado em praticar a conduta que pode justificá-la, o que não foi o caso.

Apesar de reverter a demissão, a Justiça não concedeu direito a idenização por danos morais, solicitado pelo motociclista.

Áudio

O ‘gemidão’, como ficou conhecido o áudio nas redes sociais, é atribuido à atriz norte-americana Alexis Texas, de 32 anos, premiada por vários filmes na indústria pornográfica. O áudio famoso foi gravado em uma cena do vídeo adulto “Alexis Texas Boxing POV”. No Brasil, até sessões políticas já foram interrompidas pelo barulho. (Com informações do G1)
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.1%
24.5%
1.4%