23/08/2017 às 16h08min - Atualizada em 23/08/2017 às 16h08min

Força Tática prende suspeitos de cometerem assalto e torturarem comerciante

Agência da Notícia
Dois homens acusados de participarem de um roubo a comércio, em que a vítima foi violentada fisicamente, foram presos na segunda-feira (21.08), em uma ação integrada da Polícia Judiciária Civil e Polícia Militar de Canabrava do Norte. Segundo a Polícia, Marco Diony, 19, é um dos autores do roubo e Gustavo Alves, 29, passou informações sobre a vítima e emprestou a arma utilizada no assalto.

O crime aconteceu na noite de domingo (20), em um estabelecimento comercial do município. Na ocasião, o suspeito Marco Diony, junto a outros assaltantes, em posse de armas de fogo, violentaram o comerciante com coronhadas e agressões físicas, com objetivo de subtrair dinheiro da vítima.

Além das agressões físicas, os criminosos torturaram a vítima com o jogo conhecido como “roleta russa”, em que são retiradas algumas munições da arma, deixando apenas uma e aleatoriamente aciona-se o gatilho, que disparará a depender da sorte.

Assim que a Polícia foi acionada do crime, começou as investigações e após denúncia, conseguiu identificar Marco como um dos autores do crime. O suspeito foi capturado pela força tática da Polícia Militar e entregue a Delegacia de Canabrava do Norte.

Em continuidade as investigações, a equipe da Polícia Civil descobriu que o crime contou com a participação de Gustavo, que teria auxiliado a ação criminosa como informante da vulnerabilidade da vítima. Segundo o delegado Marcelo Henrique Maidame, Gustavo não participou diretamente do roubo, no entanto também foi o responsável por ceder a arma utilizada no crime.

“As diligências continuam, pois as investigações indicam a participação de pelo menos, mais dois suspeitos”, destacou o delegado. Os detidos foram autuados em flagrante pelo crime de roubo majorado e parte do dinheiro subtraído foi recuperado e devolvido a vítima.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.1%
24.5%
1.4%