15/08/2017 às 20h20min - Atualizada em 15/08/2017 às 20h20min

Morte de repórter-cinegrafista comove cidade de Mato Grosso; veja vídeo

Foram dois anos de luta contra um câncer agressivo. Nicolas como era conhecido deu entrevistas sobre a sua luta que comoveu a cidade de Alta Floresta

Jorna Cidade / Tv Nativa - Alta Floresta


Foi sepultado dia 11 de agosto, o  repórter-cinegrafista Nicolo Polo Glücksberg, 24 anos, que lutou bravamente durante dois anos contra um câncer bastante agressivo. Conhecdo como Nicolas faleceu vítima de câncer. A doença foi diagnosticada no ano de 2015.
Na época, ele pensou que poderia se agir rápido e elimina-la, porém os tumores já tomavam conta de várias partes do corpo de Nicolas que na época era funcionário da TV Nativa, filiada Record de Alta Floresta. 

Mas Nicolas não se abateu. Ao lado da esposa Carina Pereira, ele foi para Barretos para o maior centro de tratamento de câncer do pais e referência na América do Sul. Porém, retornou após alguns meses, já desenganado pelos médicos. “Um médico me disse que teria até dois meses de vida e o outro falou em seis meses. Mas Deus é maior”, comentou no início de 2016 o trabalhador que permaneceu forte, mesmo diante de oscilações constantes no seu quadro clínico.

Nicolas, sempre amparado pela esposa, pela mãe Aracy, os irmãos e demais familiares e muitos amigos que já tinha e conquistou ao longo de sua batalha, mostrou que precisava de uma sobrevida. E assim para muito parecia estar alcançando a cura.

Os meses se passaram, passou um ano e caminhava para o segundo ano quando nos últimos meses e 30 dias principalmente, o tratamento já não apresentava mais evolução. Os órgãos já não reagiam e aos poucos a falência de cada parte do seu corpo foi ficando explícita. No final, foi perdendo memória, fala, lucidez e na madrugada de quinta-feira acabou morrendo.

Ele foi velado na Igreja Presbiteriana de Alta Floresta e o velório ficou marcado por choro e emoção dos familiares amigos e conhecidos que compareceram para dar o último adeus. O cortejo passou por toda a cidade até o cemitério Jardim da Saudade.
 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.3%
24.3%
1.4%