14/08/2017 às 00h22min - Atualizada em 14/08/2017 às 00h22min

MT 100 de Pontal a Alto Araguaia está entre as rodovias que podem ser privatizadas em MT

Dentro do plano de privatizações que a Sinfra elaborou está a rodovia MT 100 de Pontal a Alto Araguaia que ainda não foi concluída mas já cobiçada entre as concessionárias de estradas

A Gazeta
Pedro Taques visitou recentemente a MT 100 que ainda carece de alguns trechos para ser concluída a pavimentação
No plano de melhorias para a malha viária do Estado, a Sinfra ainda quer lançar nesse segundo semestre um pacote com 3 concessões para rodovias estaduais somando aproximadamente 900 Km concedidos com um valor previsto de R$ 2 bilhões, em um primeiro momento. Nesse pacote inicial, os três lotes contemplam as rodovia MT-100, de Barra do Garças até a divisa com Mato Grosso do Sul; MT-320, entre Nova Santa Hele-na e Alta Floresta; e outro lote na MT-358 (Barra do Bugres e Tangará da Serra).

De acordo com Marcelo Duarte, a ideia é que os trechos sejam concedidos sempre em 3 pacotes e assim que forem publicadas já sejam divulgados também os chamamentos para outros lotes. Atualmente, existem estudos preliminares que apontam a viabilidade para concessão de 1.400 km de rodovias - até agora o estado possui 674 km concessionadas. 

“Queremos fazer uma sequência e assim ir lançando de três em três, mas estamos definindo já que nem todas as rodovias têm viabilidade econômica para serem concessionadas”.

Conforme o secretário, a polêmica sobre as concessões existem, mas a casos como o da rodovia MT-130 (trecho entre Rondonópolis e Primavera do Leste) podem ser considerados um sucesso. Segundo ele, é uma rodovia estadual classificada como “ótima” na pesquisa da Confederação Nacional de Transporte (CNT).

A proposta da atual administração é fazer a concessão com foco mais amplo, com contratos de 30 a 35 anos, e que tenham constantes investimentos na reabilitação funcional da rodovia, na recuperação permanente do pavimento, em melhoramentos e também na manutenção frequente.

O secretário lembra que, de forma geral, existe uma capacidade limitada de investimentos, assim como de gestão. Com o investimento do setor privado, esses recursos podem ser investidos em outros trechos que não são viáveis à concessão, acelerando assim o crescimento estadual.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.3%
24.3%
1.4%