03/07/2017 às 06h16min - Atualizada em 03/07/2017 às 06h16min

Descalço, com toga e só de cueca, promotor é preso de novo por quebrar a porta da sede da TV local

Folhamax


O promotor de Justiça Fábio Camilo da Silva se envolveu em mais confusões após ser liberado pela Polícia Militar, depois de ter interceptado supostamente dirigindo embriagado, na tarde de sábado (1º). Na madrugada deste domingo (2), ele teria ameaçado hóspedes de um hotel da cidade e jogado água em um deles. Horas depois, no período da manhã, ele quebrou a porta de vidro de uma emissora. Novamente, ele foi detido.

No sábado, o promotor havia discutido com policiais militares em uma rodovia próxima a Peixoto de Azevedo, após ser interceptado pela PM em razão de dirigir supostamente embriagado. Ele foi conduzido para a Delegacia, acompanhado de outro membro do MPE, chamado para acompanhar a ocorrência. O delegado plantonista registrou boletim de ocorrência sobre o caso, no qual apontou que Silva cometeu crime de desacato e embriaguez ao volante.

O promotor, porém, não permaneceu preso, pois possui prerrogativa de foro, em razão do cargo. Caso ele ficasse detido, os militares poderiam ser presos por abuso de autoridade. A legislação determina que autoridades com foro podem ser presas somente em crimes inafiançáveis, como tráfico de drogas, racismo, tortura, crimes hediondos e terrorismo.

De acordo com a Polícia Militar, na madrugada deste domingo, funcionários do Sedna Palace Hotel, em Guarantã do Norte, acionaram a PM e relataram que o promotor estaria ameaçando um hóspede e seus amigos, mandando que eles saíssem do local.

Conforme o boletim de ocorrência, Silva ainda teria tentado levar um funcionário do hotel até seu quarto, porém o pedido foi considerado estranho e o rapaz não foi. A PM relatou que logo que chegou ao local encontrou o homem visivelmente alterado. Silva argumentou à polícia que somente teria jogado água em um dos hóspedes.

Os hóspedes relataram à PM que Silva os ameaçou e disse que “era melhor eles saírem do hotel ou a situação se complicaria para eles”. A Polícia Militar afirmou que tentou pedir ao promotor para se acalmar. Na sequência, o membro do MPE teria deixado o hotel, dizendo que iria até a cidade de Colíder.

Horas depois, na manhã deste domingo, Fábio Camilo da Silva foi detido novamente. De acordo com a Polícia Militar, ele foi à sede da TV Migrantes, afiliada do SBT em Guarantã do Norte, e quebrou uma porta de vidro da emissora. Ele chegou a machucar a perna durante a ação. O motivo para ele ter cometido tal ato nem o modo como ele quebrou a porta ainda são desconhecidos pela PM.

Logo após o ato, a Polícia Militar foi acionada e o promotor foi detido novamente. Ao perceber a presença dos militares, ele chegou a colocar a beca, para demonstrar que é uma autoridade. Por baixo da toga, ele usava apenas uma cueca, sem qualquer bermuda ou calça.

No entanto, as alegações de que ele não poderia ser detido, em razão do cargo que ocupa no MPE, não foram acolhidas pela PM, que o encaminhou mais uma vez para a Delegacia.

O promotor foi encaminhado ao hospital da cidade para tratar o ferimento na perna. Ele encontra-se detido na unidade de saúde. Um membro do MPE deve ser acionado para ir à Delegacia da cidade para acompanhar o caso. A expectativa é de que ele seja liberado novamente, em razão da prerrogativa de foro.

DISCUSSÃO COM MILITARES

Na discussão que teve com militares, no sábado, Silva chegou a tomar “banho” de cerveja e ameaçou prender um policial durante a discussão. Imagens feitas durante a abordagem mostram o membro do MPE desacatando os militares.

Em um dos vídeos, feito por um PM, o promotor tira a camisa para brigar com um dos policiais. Ele desafia o militar a algemá-lo e atirar nele. "Pode algemar. Aproveita que estou de costas e atira", falou.

Em seguida, ele avisou a um conhecido que o acompanha, identificado como Daniel. "Se ele atirar em mim, aí você tem que matar ele, tá? E aí, vai todo mundo preso por homicídio.”. O colega do promotor informou que iria indo embora e o membro do MPE suplicou. “Ô, Daniel, vai, não. Fica aqui. Se ele me matar, você é testemunha”, pediu.

Em outro momento, o promotor fez questão de mostrar que era autoridade e ironizou a patente dos militares, que haviam anunciado que chamariam o coronel responsável pelo batalhão. "Segundo o código penal militar, o promotor equivale ao coronel, tá certo?!", disparou.

Outro vídeo mostra Fábio Camilo da Silva ameaçando prender um dos militares que conduziu a ocorrência, pois afirmou que estava sendo desrespeitado. "Eu não queria te prender, cara".

Em outras imagens registradas durante a ocorrência, Fábio Camilo da Silva fez o sinal da cruz com uma caneca com líquido que aparenta ser cerveja e disse. “Até para curar é mais rápido, daqui a cinco minutinhos não tenho mais nenhum hematoma. Daqui a cinco minutos nem machucado eu estou, porque saro rápido", narrou.

Em seguida, ele questionou se os militares duvidavam sobre os supostos benefícios trazidos pelo “banho” com o líquido que aparentava ser cerveja. Diante da ausência de resposta dos PMs, ele virou o copo contra a própria cabeça.

MPE APURA POSTURA DE PROMOTOR

Por meio de comunicado, na manhã deste domingo (2), o Ministério Público Estadual informou que irá investigar a conduta do promotor de Justiça Fábio Camilo da Silva. O MPE repudiou a postura do membro e garantiu que aplicará medidas disciplinares contra o profissional.

“O Ministério Público do Estado de Mato Grosso lamenta profundamente a situação ocorrida em Guarantã do Norte e assegura que todas as providências estão sendo tomadas para apuração da conduta do promotor de Justiça substituto e adoção das medidas disciplinares cabíveis”.

O órgão ainda justificou que o caso é isolado e não é coerente à postura de outros membros do MPE. “Destaca, ainda, que trata-se de um fato isolado que não representa a postura adotada diariamente pelos 264 membros da Instituição”, asseverou.

Fábio Camilo da Silva é "novato" no Ministério Público Estadual. Ele tomou posse em 7 de abril deste ano, junto com outros 18 promotores.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.6%
5.5%
17.6%
75.2%