30/06/2017 às 16h00min - Atualizada em 30/06/2017 às 16h00min

Acusado de matar jogador de futebol é condenado a 13 anos

Ronaldo Couto / Araguaia Notícia


Terminou por volta das 20h30 de sexta-feira (30/6) com a decisão da maioria dos sete jurados pela condenação do jovem Matheus Oliveira Almeida, 20 anos, a treze anos de reclusão pela morte do jogador de futebol Jeferson Oliveira da Silva, 25 anos, o Jefinho. O crime aconteceu na porta de uma boate em Barra do Garças, no mês de abril de 2015.

O julgamento teve doze horas de duração com vários embates entre advogado de defesa de Matheus, Reinaldo Leite; e o promotor Hudson Franco sobre a autoria do crime e a classificação do homicídio como crime hediondo com duas qualificadoras: de crueldade e sem oferecer chance de defesa à vítima.

O advogado tentou atenuar a pena de Matheus alegando que ele teria ficado transtornado ao saber que a namorada dele teria sido agredida por Jefinho. Todavia essa suposta agressão foi questionada pelo promotor, pois não tinha sido citada no processo e não houve nenhum exame confirmando essa violência.

A evidencia de um vídeo que aparece Matheus esfaqueando Jefinho na porta da boate e podendo pegar uma pena maior, o réu foi orientado a fazer a confissão de culpa. Ele então admitiu ter esfaqueado a vítima com quinze facadas conforme a perícia relatou no processo e a facada foi levada por jovem chamado Paulo Henrique que foi morto na cidade de Bom Jardim de Goiás posteriormente.

“Uma briga dentro da boate não pode dar direito a uma pessoa matar outra”, destacou o promotor durante julgamento. Além da confissão, Matheus teve a pena reduzida para 13 anos porque era réu primário. Ele está preso na cadeia de Barra do Garças há dois anos e deve permanecer mais três anos 'fechado' para então passar para o regime semiaberto.

A família do jogador Jefinho, que acompanhou sob forte emoção todo o julgamento, entendeu que o resultado foi justo diante do que aconteceu. “Nós acreditamos que foi feita justiça até mesmo derrubando o que falavam para desqualificar o meu irmão que está morto”, destacou Jangada, irmão de Jefinho.

O juiz Carlos Augusto Ferrari, tomou uma decisão diferente nesse júri popular, ele optou em não divulgar o resultado da votação dos jurados para preservar a integridade deles.

Jefinho começou a carreira futebolística no Barra Garças Futebol Clube e atuava na época na equipe do Cacerense e estava em Barra do Garças para passar o final de semana com a família. Quando então foi convidado por um colega para ir numa boate da cidade.

Lá houve uma briga que começou por causa de uma desavença deste amigo de Jefinho e Matheus. Os dois se estranharam dentro da boate e na saída da festa, Jefinho que saiu em defesa do amigo, acabou sendo esfaqueado por Matheus e ainda recebeu algumas pedradas. Ele chegou a ser socorrido, mas morreu no hospital.
 
Um vídeo da briga identificou Matheus no momento das facadas contra a vítima. Acompanhe reportagem da Tv Band gravada antes do julgamento no Tribunal do Júri de Barra do Garças.
 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%