28/06/2017 às 13h43min - Atualizada em 28/06/2017 às 13h43min

Piloto de avião interceptado com mais de 600 kg de cocaína diz que está arrependido durante audiência, em Goiânia

G1 GO
Piloto do avião interceptado com 653 kg de cocaína, Apoena Índio do Brasil Siqueira Rocha disse nesta quarta-feira (28) que está arrependido de transportar a carga. A declaração foi feita durante audiência de custódia realizada na sede da Justiça Federal, em Goiânia. A sessão determinou que o condutor e o passageiro da aeronave sigam presos.
 
"Estou arrependido. Fiz isso porque estava precisando de dinheiro. Estava desempregado, perdi meu carro, apartamento em briga judicial, contas atrasadas. Achei que essa seria uma chance de desafogar as contas", declarou ao juiz.
 
O juiz Manoel Pedro Martins de Castro Filho presidiu a sessão, que começou por volta das 11h30 e terminou ao meio dia. O advogado da dupla, Emerson Vita, pediu a aplicação de medidas cautelares alternativas. A solicitação foi negada pelo magistrado, que concluiu ser necessário manter a prisão preventiva da dupla.
 
"Nosso embasamento para manter a prisao preventiva foi a grande quantidade de entorpecente e o desrespeito a uma ordem de aterrissar no aeroporto mais próximo, caracterizando a periculosidade", disse o juiz.
 
Avião carregado de cocaína é interceptado pela FAB (Foto: PMGO/Divulgação)

Avião carregado de cocaína é interceptado pela FAB (Foto: PMGO/Divulgação)


Avião carregado de cocaína é interceptado pela FAB (Foto: PMGO/Divulgação) ,

Durante a sessão, o outro passageiro do avião, Fabiano Júnior da Silva Tomé, afirmou que trabalha como mêcanico de avião e reforçou o que havia dito em depoimento à Polícia Federal, que era o dono da aeronave.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%