25/06/2017 às 17h16min - Atualizada em 25/06/2017 às 17h16min

Homem é preso após pichar ameaças contra a ex

Midia News
O fato de não aceitar o fim de um relacionamento passageiro levou um homem a prisão, após ele ser identificado nas investigações da Polícia Judiciária Civil, como mandante de pichações contra a vítima, no município de Nova Olímpia (207 km ao Norte). Acusado de ameaça e dano na Lei Maria da Penha, A.V., 42, teve o mandado de prisão cumprido, na sexta-feira (23), em Nova Mutum (264 km a Médio-Norte).

As investigações contra o suspeito iniciaram após a Polícia Civil de Nova Olímpia tomar conhecimento do caso da mulher, que teve o seu nome pichado no muro de uma creche, recebendo ameaças de morte e sendo vítima de danos em seu veículo, que também foi pichado. Foram mais de seis meses de investigação, até que os policiais chegassem ao nome de A.V., com quem a vítima teve um breve relacionamento.

Segundo as investigações, quando a vítima disse que não queria levar o relacionamento adiante, o suspeito passou a oferecer vantagens para algumas pessoas para que pichassem o carro dela e muros da cidade, realizando ameaças contra a sua vida. Com os indícios de que os crimes foram encomendados por A.V., o delegado Nelder Martins Pereira representou pelo mandado de prisão preventiva do suspeito.

A ordem de prisão contra o acusado foi cumprida na manhã de sexta-feira (23), após equipe da Polícia Civil de Nova Mutum, receber informações de que ele estava na cidade a trabalho. Ele foi localizado por volta de 10 horas, no bairro Palmeiras.

Segundo o delegado Nélder Martins, o esforço da equipe foi fundamental para elucidar esse caso, que causou um verdadeiro terror na vida da vítima. “Era preciso identificar o autor das ameças o quanto antes, pois havia um temor de que a vítima pudesse ter sua vida ceifada, já que os crimes contra ela foram evoluindo para um quadro mais grave”, disse o delegado.

O suspeito permanece preso em Nova Mutum a disposição da justiça.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%