23/06/2017 às 22h54min - Atualizada em 23/06/2017 às 22h54min

Acusado de matar jovem na Barra pega 12 anos de prisão

Ronaldo Couto / Araguaia Notícia
Terminou por volta das 21 horas de sexta-feira (23/6) o julgamento de Jean Carlos Cavalcante Moreno conhecido como Jeanzinho acusado de assassinar com quatro tiros o garoto Darttones Camilo Lima de Marques cujo homicídio aconteceu em setembro de 2014. Ele foi apenado em doze anos de reclusão cuja sentença foi proferida pelo juiz Carlos Augusto Ferrari após ouvir quatro dos 7 jurados.

Os quatro primeiros já deram veredicto pela condenação do acusado e por isso o juiz dispensou de ouvir mais três julgadores. Ao final o magistrado proferiu a sentença de doze anos que Jeanzinho já cumpriu dois anos e deve ficar pelo menos mais 5 anos e 6 meses trancafiado para então ter direito a progressão de pena ao semiaberto. Detalhe Jeanzinho continuou negando o crime mesmo com as provas apresentadas no processo.

O julgamento começou com um atraso de uma hora porque uma das testemunhas demorou a chegar plenário do Tribunal do Júri. Outro fato que chamou atenção é que o advogado de Jeanzinho abandonou o caso e quem fez a defesa dele foi o defensor público Hugo Ramos.

Durante as explanações de Ministério Público com a promotora Luciana Abrão e o defensor público chegaram a discordar na tipificação do homicídio em que o defensor tentou enquadrá-lo como o homicídio simples, todavia a promotora usou da replica para derrubar essa tese. Ao final, a família de Darttones saiu satisfeito do julgamento entendo que houve justiça. Eles foram de camiseta com a foto do garoto e cartazes, porém não puderam entrar no plenário porque no entendimento do magistrado poderia influenciar os jurados.

Na época quando foi preso, Jeanzinho disse que não teria sido ele que atirou contra Darttones, porém foi reconhecido por uma testemunha e depois foi preso por porte ilegal de arma na cidade de Primavera do Leste. Segundo a família de Darttones, o jovem foi assassinado porque era amigo de um rapaz que tinha rixa com Jeanzinho.

No dia do crime, Jeanzinho foi até a rua 42 esquina com a rua Amazonas no bairro Santo Antônio atrás do amigo de Darttones, como ele não estava, e Darttones morava bem na frente casa deste rapaz, o acusado foi tirar satisfação com a vitima e efetuou quatro disparos que acertaram Darttones: dois no tórax e dois nas pernas. Ele morreu depois no hospital.

O crime causou comoção nos moradores do bairro Santo Antônio que ficaram com medo da onda de crimes no setor. Jeanzinho chegou a se apresentar na polícia mas negou a autoria do homicídio e após investigações a Polícia Civil pediu a prisão de Jeanzinho.

O acusado foi preso em Primavera do Leste, meses depois, por porte ilegal de arma quando retornava de Rondonópolis sentido a Barra do Garças. Jeanzinho também foi acusado, quando menor de idade, de participação no assassinato do jovem Rodrigo Borracha que aconteceu em 2012. Na época, ele também negou esse crime e atribuindo o disparo para outra pessoa.
 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%