23/06/2017 às 17h12min - Atualizada em 23/06/2017 às 17h12min

Família de jovem assassinado em Barra do Garças pede justiça; veja vídeo:

Ronaldo Couto / Araguaia Notícia


A família do jovem Darttones Camilo Lima de Marques, assassinado no mês de setembro de 2014, foi até o fórum de Barra do Garças na quinta-feira (23/6) com camisetas com a foto do garoto e faixas pedindo justiça para o julgamento do acusado de matar Darttones, Jean Carlos Cavalcante Moreno que está preso, todavia negando a autoria do crime.

Na época quando foi preso, Jeanzinho disse que não teria sido ele que atirou contra Darttones porém foi reconhecido por uma testemunha e depois acabou sendo preso por porte ilegal de arma na cidade de Primavera do Leste. Segundo a família de Darttones, o jovem foi assassinado porque era amigo de um rapaz que tinha rixa com Jeanzinho.

No dia do crime, Jeanzinho foi até a rua 42 esquina com a rua Amazonas no bairro Santo Antônio atrás do amigo de Darttones, como ele não estava, e Darttones morava bem na frente casa deste rapaz, o acusado foi tirar satisfação com a vitima e efetuou quatro disparos que acertaram Darttones: dois no tórax e dois nas pernas. Ele morreu depois no hospital.

O crime causou comoção nos moradores do bairro Santo Antônio que ficaram com medo da onda de crimes no setor. Jeanzinho chegou a se apresentar na polícia mas negou a autoria do homicídio e após investigações a Polícia Civil pediu a prisão de Jeanzinho.

O acusado foi preso em Primavera do Leste, meses depois, por porte ilegal de arma quando retornava de Rondonópolis sentido a Barra do Garças. Jeanzinho também foi acusado, quando menor de idade, de participação no assassinato do jovem Rodrigo Borracha que aconteceu em 2012. Na época, ele também negou esse crime e atribuindo o disparo para outra pessoa.

O julgamento de Jeanzinho está sendo realizado nesta sexta-feira no auditório do fórum de Barra do Garças com o juiz Carlos Augusto Ferrari; promotora Luciana Abrão e defensor público Hugo Ramos. Vale ressaltar que o advogado que defendia Jeanzinho abandonou o caso e por isso ele está sendo defendido por integrante da Defensoria Pública.

Acompanhe reportagem da Tv Band sobre o julgamento de hoje.
 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%