15/06/2017 às 17h28min - Atualizada em 15/06/2017 às 17h28min

Assaltante é baleado dentro de hospital, diz Polícia Civil

Kywsllen Popozinho foi baleado primeiramente durante tentativa de assalto a um policial que reagiu. E depois no hospital, uma pessoa não identificada tentou 'finalizar' o suspeito dentro do hospital

Araguaia Notícia
Um homem, que ainda não foi identificado, conseguiu em meio a uma confusão entrar no hospital Getúlio Vargas da cidade de Aragarças-GO, na noite de quarta-feira (14/6), e efetuou disparos contra o assaltante Kywsllen Martins Vieira, conhecido como Popozinho. O suspeito tinha sido baleado após uma tentativa de assalto ao policial da Força Tática da Polícia Militar (PM) de Barra do Garças, Vanilson da Silva Carvalho, 27 anos, que também foi ferido e veio a óbito na manhã de quinta-feira.

Durante a tentativa de assalto ao policial na rua 6 perto da igreja católica de Aragarças, o irmão de Popozinho, Fagner Wender, conhecido como Popó, morreu na troca de tiros. Os irmãos estariam tentando roubar a moto do policial com objetivo de pegar as peças, porém o militar viu e reagiu. Vanilson estava na casa da namorada que também é policial militar na hora do incidente.

A informação sobre a invasão do hospital foi confirmada pela diretora do hospital Joelza Santos e pelo delegado Ricardo Galvão que pediram a transferência do assaltante para outra cidade temendo novas invasões. Apesar dos disparos que acertaram ombro e braço, Popozinho sobreviveu e inclusive confessou ao delegado que foi ele quem atirou contra o policial na tentativa de roubo.

Segundo a versão de Popozinho, eles estavam a procura de uma moto que fosse idêntica a do Popó com objetivo de pegar as peças e não imaginavam que a moto escolhida seria de um policial quando houve então a reação do militar.

Na troca de tiros, Popó morreu e Popozinho escapou sendo levado ao hospital por terceiros. E antes mesmo que a polícia chegasse no hospital, um individuo entrou na unidade de saúde e tentou matar Popozinho.

Diante do ocorrido a situação ficou insustentável no Getúlio Vargas e somente normalizou com a intervenção da PM-GO que passou a dar segurança aos funcionários e pacientes do hospital.

Irmãos perigosos

O delegado Ricardo Galvão confirmou que os irmãos Popó e Popozinho eram conhecidos da polícia por crimes e considerados perigosos.

Popó chegou a ser preso na semana passada em Barra do Garças com um mandado de prisão pelo envolvimento dele na morte do jogador Jefinho, na saída de uma boate em Barra do Garças. Só que no mesmo dia ele conseguiu um alvará e foi solto.

Alguns dias depois, saiu um novo mandado de prisão contra Popó que estava foragido e a policia acredita que ele estava participando de crimes em outra região. O irmão dele, apesar de ser mais novo, Kywsllen Popozinho também tem uma vasta ficha policial.

Popozinho tentou matar o pai, militar aposentado de Mato Grosso, que ficou paraplégico numa cadeira de rodas após receber um tiro na coluna. Na época, ele disse que atirou no pai porque este estaria batendo na mãe dele.

Em 2016, Kywsllen Popozinho na companhia do conhecido Sementinha do Mal atiraram contra o prédio da 1ª DP de Barra do Garças. Depois, Popozinho participou ateando fogo nas viaturas do socioeducativo durante uma rebelião de presos em Mato Grosso.

Ele ainda é investigado pelo assalto dos Correios de Torixoréu. Segundo o delegado, são elementos perigosos contumazes e que voltaram agir desta vez na troca de tiros em que morreu o policial Vanilson da Força Tática.

O policial está sendo velado no batalhão da PM em Barra do Garças e o sepultado será nesta sexta-feira às 10 horas da manhã segundo informou o tenente-coronel Omar Prado. 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%