07/06/2017 às 07h32min - Atualizada em 07/06/2017 às 07h32min

Integração das forças resulta na redução de homicídios no polo de Barra do Garças

Assessoria / PJC-MT
A reconstituição da morte de um dependente químico, realizada na segunda-feira (05.06), pela Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), em Barra do Garças (500 km a Leste), levou ao esclarecimento do primeiro assassinato do ano de 2017, ocorrido na cidade, que registrou apenas dois homicídios neste ano.

O delegado regional de Barra do Garças, Adilson Gonçalves Macedo, destacou que os dois crimes são os únicos homicídios dolosos registrados em toda a regional, que compreende as cidades (com delegacias instaladas) de Barra do Garças, Novo São Joaquim, Araguaiana, Torixoréu, General Carneiro, além dos municípios de Ribeirãozinho e Pontal do Araguaia, os quais não dispõem de unidade física da Polícia Civil.

“Temos mais homicídios culposos, que são os acidentes de trânsito. A integração é  muito forte com a Polícia Militar, a Politec e os órgãos de Justiça. Algo que sempre cobro nas operações integradas é que seja dado prioridade para o homicídio. Aconteceu, a PM faz muito bem a preservação do local até a chegada da nossa equipe e da perícia. Todas as delegacias são mobilizadas para esclarecimento do crime”, disse.

No dia 18 de fevereiro, foi registrado boletim de ocorrência narrando que Claúdio Sergio Andrade Lima, 42 anos, teria fugido de uma clínica de recuperação de dependentes químicos, na cidade de Barra do Garças. No dia 27 do mesmo mês, o corpo dele foi localizado pelo Corpo de Bombeiros, às margens do Rio Araguaia, em estado avançado de decomposição. Na ocasião, a perícia constatou que a causa da morte era estrangulamento por enforcamento.,

Para esclarecer as circunstâncias da morte, investigada no inquérito policial, os delegados responsáveis pela apuração de crimes de homicídio na cidade, Renato Resende e Adriano Marcos Alencar, ambos da 1ª Delegacia de Polícia, requisitaram a perícia a reconstituição simulada dos fatos, diante de indícios de autoria apontada na investigação.

O trabalho realizado na segunda-feira resultou na confissão de Felipe Alves Lima, que  confessou ser o autor do homicídio. O suspeito alegou que o fato tratou-se de "acidente", ocorrido após luta corporal com a vítima, vez que não teria tido a intenção de matar.

Com o esclarecimento da autoria desse homicídio, a Regional de Barra do Garças destaca 100% de resolutividade dos crimes contra vida no município.Em 2017, a cidade registrou dois homicídios, sendo esse caso de fevereiro e outro no mês de abril.

"Dada resposta estatal adequada frente às práticas criminosas, ressalvando os índices de resolução de crimes nesta Regional em 2017, em 100% dos casos de crimes dolosos contra a vida com autoria identificada pela 1ª DP da Polícia Civil de Barra do Garças", destacou o delegado Adriano Marcos.

O comandante do 5º Comando Regional de Barra do Garças, Tenente-Coronel, Izac Omar Prado de Souza, pontuou que os índices criminais da região são discutidos semanalmente nas reuniões da RISP (Região Integrada de Segurança Pública), quando são também mapeados os pontos de ação. “Nessas reuniões discutimos os números e trabalhamos com o geoprocessamento. Esse trabalho integrado de análise conjunta tem nos ajudado muito. Fora isso, damos também ênfase aos problemas que observamos”, disse.   

Conforme o delegado Adilson Gonçalves, a redução nos crimes de homicídio dolosos foi de 78%, em relação ao primeiro semestre de 2016, quando foram registrados nove mortes. Segundo ele, em 2015, foram 17 homicídios, em 2016, ocorreram 16 e para 2017, as forças de segurança esperam terminar o ano com menos de 15 homicídios.

“O roubo também temos conseguido diminuir. O furto aumentou em razão do tráfico e do uso de drogas e por a pena ser pequena, mas estamos desenvolvendo um trabalho para combater esse delito”, finalizou o regional.

“Temos aumentado o policiamento na área central, local da maioria dos furtos. Mas no momento que vamos combatendo os traficantes, apreendendo armas, o crime vai migrando. No entanto, temos combatido muito”, completou o comandante da PM, Tenente Coronel Prado.
 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%