04/06/2017 às 16h24min - Atualizada em 04/06/2017 às 16h24min

Vítima de acidente recebe alta depois de 50 dias e família agradece profissionais do PSM de Barra do Garças

Araguaia Notícia
Após 50 dias, o morador Milton Alves (filho do conhecido Botinha do cemitério central de Barra do Garças) recebeu alta e pode finalmente voltar para casa neste final de semana. Ele foi vítima de um acidente na rodovia MT 100 quando retornava do Veloterra de Araguaiana para a cidade de Barra do Garças.

Num determinado ponto da rodovia, Milton bateu num veículo que estava parado no acostamento e caiu violentamente. Por causa da gravidade do ferimento, o motociclista ficou vários dias na UTI. Foi uma verdadeira luta para que ele se recuperasse fato que graças a Deus aconteceu.

A família, na rede social, fez um agradecimento a toda equipe médica desde a que removeu ele de Araguaiana para Barra do Garças no dia do acidente; e aos profissionais do Pronto Socorro que se empenharam na recuperação dele: médico Zé Maria; Dr Rafael; Wilson Malafaia; Dr André; neurologista Budiene; fisioterapeutas Vivian, Luma e Telma que fizeram de tudo para salvá-lo.

O agradecimento também é extensivo para as enfermeiras da UTI e da internação; nutricionistas; os porteiros que também são todos educados e à direção do PSM na pessoa Adilson Tavares; Clênia e Daniela.

“O Pronto Socorro pode até ser mal falado, mas também salva vidas e o nosso irmão é um deles” diz a mensagem da família. A irmã de Milton lembra o momento mais difícil do irmão no PSM foi quando ele deu entrada com parada cardíaca e todos já o davam como morto e o médico Zé Maria entrou em ação e conseguiu fazer todos os procedimentos necessários para reanimá-lo.

“Foi Deus que colocou a mão no Zé Maria para salvar a vida do meu irmão e nós da família seremos eternamente gratos a ele e a equipe do Pronto Socorro. E que Deus esteja sempre protegendo vocês dia e noite”, finalizou. 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%