18/04/2017 às 12h06min - Atualizada em 18/04/2017 às 12h06min

Exército já está a caminho do local onde vai montar a ponte na BR 158

Água Boa News
O  Batalhão do Exército está pernoitando em Planalto do Araguaia a nova fronteira agrícola do país e na manhã desta terça-feira chegará as margens do Rio Preto onde tem a missão de montar uma ponte LSB (Logistic Support Bridge), no lugar onde uma ponte de madeira cedeu no dia 05 de abril, e causou a interdição de trecho da BR-158, a 1.160 km de Cuiabá.

“O que nós fazemos em tempo de paz, é o que nós fazemos em tempo de guerra. A estrutura que montamos e preparamos para o cumprimento da missão na montagem dessa ponte, é uma estrutura de guerra. Por isso há necessidade de um preparo por parte do nosso efetivo, para que chegando ao local, a missão possa ser cumprida nas melhores condições. Nossos militares tem preparo intelectual  e operacional para concretizar a montagem dessa estrutura e participar de uma missão dessa importância”.

Com essas palavras que o comandante do 9° Batalhão de Engenharia de Combate Carlos Camisão, tenente-coronel Fábio Bogoni descreveu a Operação “Rio Preto”, nome em referência ao rio que liga a região de Alô Brasil e município de Confresa, no Mato Grosso,  onde o Batalhão tem a missão de montar uma ponte LSB (Logistic Support Bridge), no lugar onde uma ponte de madeira cedeu no dia 05 de abril, e causou a interdição de trecho da BR-158, a 1.160 km de Cuiabá, na região do Araguaia. A estrutura caiu logo depois que um caminhão passou pelo local, segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit). No dia 03 de abril, a ponte havia ficado submersa depois que o nível do rio subiu durante uma chuva forte.

Em 2015, o 9° BE Cmb recebeu a missão para possível montagem de uma ponte na BR-163, no Pará, conhecida pelas péssimas condições de estrada, alternando trechos de asfalto com outros de terra, e por conta das fortes chuvas na época, a situação ficou preocupante. Com intenso tráfego de carretas, a rodovia é de extrema importância para o escoamento das safras de soja e milho. Nessa operação de 2015, o objetivo seria antecipar a queda da estrutura e proporcionar o escoamento da produção na região de Santarém, o Batalhão manteve uma tropa no Destacamento Miritituba (PA), ficando em condições de lançar a ponte LSB, mas não foi necessário.

Já nesse caso, os militares irão montar a ponte, para restabelecer o trafego na BR 158, importante eixo de ligação do país para escoamento de safra. Serão mais de 50 militares empenhados, 21 viaturas, entre elas carretas bi-trem, ambulância e todo o aparato para atender o efetivo que ficará aproximadamente cinco meses no local, até a construção de uma nova ponte. A previsão inicial é que o primeiro efetivo fique por vinte dias, quando está programada uma troca de turno, com uma segunda turma já preparada para dar continuidade a missão.

O tenente-coronel Fábio Bogoni garantiu o apoio não apenas aos militares designados para a missão, mas, também, aos seus familiares. O comandante lembra que uma das dificuldades da missão é o longo período distante de casa, mas determinou que o atendimento às famílias dos que estarão fora seja prioridade.

A viagem 1.600 km até o local, vai durar  quatro dias. O comboio saiu de Aquidauana na madrugada deste sábado (15), escoltado por viaturas da Polícia do Exército, com apoio da PRF (Polícia Rodoviária Federal).

Matéria atualizada às 23h30 com correções
Notícias Relacionadas »
Comentários »