31/03/2017 às 17h45min - Atualizada em 31/03/2017 às 17h45min

Polícia Civil prende duas mulheres envolvidas em latrocínio de empresário em Aragarças

Araguaia Notícia
A Polícia Civil prendeu na sexta-feira (31/3) Jennifer Aparecida de Jesus Silva, 22 anos, a segunda mulher envolvida no latrocínio (roubo seguido de morte) do empresário Matheus Coelho, assassinado no dia 2 de Março, em Aragarças-GO na divisa com Mato Grosso. Na quinta-feira, já tinha sido presa Keila Cristina de Jesus Moura, 29 anos.

O delegado responsável pela investigação, Ricardo Galvão, informou que as duas mulheres ajudaram Marcos Paulo (que também está preso) a cometer o latrocínio com intenção de roubar o carro da vítima, um Toyota Corola preto. Jennifer teria convidado Keila para participar da festa numa chácara alugada pelo empresário e lá tramaram o crime na companhia do namorado Marcos.

O empresário, ex-proprietário de uma boate em Goiânia, veio para Aragarças passar o carnaval e no quinto dia quando estava indo embora, ele foi procurado pelos acusados que lhe pediram uma carona até uma chacara vizinha e no caminho cometeram o crime.

Segundo o delegado, Keila que estava no banco de trás do carro usou um fio para asfixiar Matheus enquanto que Marcos que estava no banco do carona esfaqueou o empresário por diversas vezes.

Jennifer admitiu que sabia do crime e contou que o corpo do empresário foi deixado na entrada de uma chácara e que Marcos e Keila fugiram no carro e pretendiam vendê-lo por 8 mil. Só que o carro foi apreendido pela Polícia Militar em Araguaiana quando atravessou a balsa no rio Araguaia e Marcos foi preso na seqüência pela Polícia Civil de Barra do Garças.

Marcos ainda tentou envolver dois sobrinhos menores no crime fato que agora foi descartado pela polícia. “Nós estamos apurando se a intenção era roubar o carro ou se o crime foi cometido por encomenda”, destacou.

Galvão disse que vai chamar os proprietários da chácara alugada para depor na segunda-feira. A polícia descobriu que Marcos não era caseiro da chácara e teria sido chamado por um dos proprietários da chácara.

Matheus era de Goiatuba onde o irmão dele, Marcelo Coelho, foi prefeito naquela cidade. O empresário permaneceu após o carnaval porque pretendia visitar alguns parentes em Canarana quando foi cruelmente assassinado. 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%