24/03/2017 às 17h02min - Atualizada em 24/03/2017 às 17h02min

Irmã mais velha morreu tentando salvar a mais nova, diz família

Midia News
Familiares das duas irmãs – de 10 e 12 anos – que morreram afogadas ao caírem em uma represa, nesta terça-feira (21), próxima à cidade de Paranatinga (373 km ao Norte de Cuiabá), disseram que a irmã mais velha chegou a tentar salvar a mais nova antes de morrer.

Um dos familiares, que não quis se identificar, relatou ao MidiaNews que a tragédia aconteceu por volta das 12h daquela data. As crianças estavam com o pai e a madrasta em uma fazenda, a cerca de 90 quilômetros da cidade.

“O pai delas estava trabalhando em uma fazenda vizinha onde aconteceu o acidente. Ele tinha ido ‘bater’ [ligar] a energia nessa fazenda e deixou as meninas com a madrasta nessa fazenda, enquanto fazia o serviço na outra”, contou.

 Segundo ela, as crianças estavam brincando num barranco, próximo à represa, quando a menor caiu. Na tentativa de salvar a irmã, a mais velha pulou em seguida.

“Quando a madrasta viu que as duas estavam se afogando na represa, tentou salvá-las, mas a água puxou as meninas para o fundo”, disse.

O pai das crianças chegou ao local, conseguiu tirar as filhas da água e tentou reanimá-las, mas não teve sucesso.

A Polícia Civil agora deve instaurar um inquérito para apurar o caso.

Outros casos

Com este, já são três casos envolvendo afogamento de crianças em Mato Grosso em menos de um mês, com três desaparecidos.

No último dia 12 de março, uma menina de 11 anos desapareceu nas águas no Rio Garças, em Barra do Garças. Ela teria se afogado e os parentes não conseguiram salvá-la.

Já no dia 27 de fevereiro, dois garotos, de 8 e 10 anos, sumiram quando pescavam com mais dois amigos no Rio Guaporé, na cidade de Vila Bela Santíssima Trindade (521 km a Oeste de Cuiabá).

Em ambos os casos, os corpos não foram encontrados pelo Corpo de Bombeiros e, por isso, a Polícia Civil resolveu instaurar um inquérito para investigar os desaparecimentos.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.0%
23.7%
1.3%