22/03/2017 às 07h35min - Atualizada em 22/03/2017 às 07h35min

O maior leiloeiro do mundo diz que operação da Polícia Federal prejudica a pecuária brasileira

Interativa FM / Água Boa
Considerado o maior leiloeiro de gado do mundo, o ex-prefeito de Água Boa Maurício Tonhá, concedeu entrevista na Rádio Interativa FM de Água Boa onde criticou o que chamou de ‘forma espetaculosa’ a divulgação da operação Carne Fraca por parte da Polícia Federal. Segundo ele, a divulgação açodada da operação está afetando significativamente a pecuária brasileira, principal exportador da carne bovina do mundo. 

Possíveis irregularidades foram detectadas em alguns frigoríficos, mas o modo como a operação foi conduzida, pode prejudicar toda a cadeia da pecuária. Maurição classificou como irresponsável, covarde e altamente infeliz esta operação dos órgãos federais. Para ele, os produtores rurais e os frigoríficos do país estão sendo prejudicados por essa operação.

Atualmente, segundo ele, 11 mil funcionários fiscalizam a sanidade animal brasileira, mas apenas 33 funcionários são suspeitos de terem cometido desvio de conduta. São 4.800 frigoríficos e outros estabelecimentos que produzem alimentos cárneos, mas apenas 3 teriam cometido irregularidades de 21 unidades frigoríficas que estão sendo investigadas.  Tonhá salienta que da forma como foi conduzida a operação, o prejuízo afeta o agronegócio e a economia nacional.

A cadeia da carne brasileira gera mais de 10 milhões de empregos diretos e indiretos, talvez a maior cadeia empregatícia do Brasil. Maurício salienta que a Polícia investigou o fato por dois anos sem tomar nenhuma atitude, para só agora denegrir a imagem da pecuária brasileira como um todo. Ele disse acreditar no trabalho do Ministro da Agricultura Blairo Maggi, que está demonstrando que esta operação foi conduzida de maneira infeliz. O leiloeiro destaca que sempre acreditou e reconhece os bons trabalhos já prestados pelo Ministério Público Federal e pela Polícia Federal, mas não nesse caso isolado.

O ministro está conduzindo bem as negociações, mostrando que são casos tão inexpressivos diante da gigantesca produção de carne dentro dos padrões exigidos. Ele considerou que a ação foi espalhafatosa, causando mais prejuízo do que mirando o problema isolado em si. Maurição espera que esses prejuízos sejam imediatamente reparados, provando a qualidade e a sanidade da carne brasileira. Ele se disse desconfiado diante dessa megaoperação da carne, por achar que há interesses escusos por trás de todos os fatos.

Mauricio Tonhá sugere que os pecuaristas tenham cautela nessa semana, observando e tirando suas conclusões. “Essa operação já está se provando ter sido totalmente infeliz e prejudicial à pecuária nacional”. Destacou que os frigoríficos continuam trabalhando, as pessoas continuam consumindo carnes, as churrascarias estão lotadas, enfim, os negócios seguem seu caminho normal. Para ele, toda essa confusão pode servir para atrair a atenção para a qualidade da carne brasileira diante de um mercado em franco crescimento no mundo.

“No domingo, fizemos um leilão com a venda de mais de 3 mil animais, mesmo diante desse cenário. Fico indignado com a corrupção, com a falta de propósito de muitas pessoas, mas fico indignado com a arrogância dos poderes que não percebem o mal que fazem ao país. Vamos continuar trabalhando e acreditando em dias melhores”, finalizou ele.
 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.0%
23.7%
1.3%