06/11/2012 às 16h09min - Atualizada em 06/11/2012 às 16h09min

Comissão da Suiá-Missú será recebida nesta terça pela Presidência

Olhar Direto
Agua Boa News

Uma comissão de líderes da Suiá-Missú foi recebida na tarde de segunda-feira (5) pelo assessor direto da presidente Dilma Rousseff, Gilberto Carvalho, no Palácio do Planalto, na primeira tentativa de evitar o despejo de 800 famílias da gleba, no município de Alto Boa Vista, a 1.045 km de Cuiabá.

O que era para ser uma audiência virou apenas uma prévia com assessoria da presidência e uma nova reunião ficou marcada para amanhã cedo no Palácio do Planalto entre os líderes do sem-terra e assessoria da presidente, destacou Renato Teodoro, presidente da Associação de Produtores da Suiá-Missú.

Os posseiros tentam, a todo custo, evitar o cumprimento da ordem da Justiça Federal para desocupação da área reivindicada pela Funai como parte da reserva indígena Maraiwatsede. Um batalhão com 150 soldados do Exército foi montado dentro da gleba com objetivo de acompanhar a desocupação da área.

Cerca de 320 sem-terra estão em Brasília nesta segunda-feira (5) para pedirem a intervenção da presidente Dilma nesse problema. Vestindo roupas brancas e com sombrinhas e guarda-sol com as cores do Brasil, os posseiros estão acampados enfrente ao Palácio do Planalto.

Por volta das 10 horas, eles conseguiram chamar atenção ao ponto de interromper uma cerimônia onde estava a presidente Dilma e por esse motivo foram convidados a conversar com Gilberto Carvalho.

O pastor Paulo Rodrigues informou ao Olhar Direto que a expectativa é grande de que a presidente fique sensibilizada com a situação e interceda em favor dos sem-terra impedindo o despejo.

A área em disputa foi considerada dos índios por causa de um estudo de antropólogos que afirmam que os antepassados dos Xavantes residiam na Suiá-Missú.

A gleba existe há 30 anos e hoje tem 700 famílias assentadas na área, com 4 mil pessoas e representa 72% da área do município de Alto Boa Vista. “Se acabar a gleba, vai acabar com a nossa cidade”, frisou o pastor. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »