03/03/2017 às 14h14min - Atualizada em 03/03/2017 às 14h14min

Idosa que já fez mais de 300 partos em cidade de MT completa 101 anos

G1 MT
Conhecida na região Araguaia como "Mãe Cesária" depois de ajudar a trazer ao mundo pelo menos 300 crianças, a parteira Cesarina Silva, chegou aos 101 anos. Com isso, se tornou a mulher mais velha do município de Luciara, a 1.180 km de Cuiabá, e ganhou uma festa de aniversário no último domingo (26) de parentes e amigos. Luciara possui 2.224 habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Ela atuou por mais de 40 anos fazendo partos na região. Cesarina Silva é natural de Conceição do Araguaia (PA), mas vive em Mato Grosso desde a década de 40.

A neta de Cesarina, Indiara Abreu Silva dos Santos, de 21 anos, afirma estar muito feliz pela avó ser a moradora mais idosa do município. O parto de Indiara foi o último realizado por Cesarina, que teve duas filhas biológicas e uma adotiva.

"É um orgulho imenso ser parente de uma pessoa tão idosa, conhecida por realizar tantos partos nessa cidade, e por ter ajudado muitas famílias a criarem seus filhos", contou.

Mãe Cesária tem problemas de audição, mas está bem de saúde. Consegue andar e se alimentar sozinha.

Um dos partos feitos pela idosa foi o do professor Honório Ribeiro de Alencar, de 46 anos. Segundo ele, a parteira já presenciou a Primeira e a Segunda Guerra Mundial. Ela chegou a Mato Grosso em períodos difíceis, pois não haviam estradas de acesso. Para chegar até o local, viajou de canoa de Barra do Garças, a 516 km de Cuiabá, até Luciara.

Ela está lúcida, mas está com problemas na audição (Foto: Honório Ribeiro/ Arquivo pessoal)

Ela está lúcida, mas está com problemas na audição (Foto: Honório Ribeiro/ Arquivo pessoal)


Ela está lúcida, mas está com problemas na audição (Foto: Honório Ribeiro/ Arquivo pessoal)

Honório conta também que a Mãe Cesária também trabalhou como funcionária pública, mas que, no entanto, não deixou de realizar partos. "Ela já foi funcionária pública, mesmo assim ela realizava partos no município inteiro", contou.

Quando tinha 95 anos, Cesarina teve hanseníase, mas fez tratamento durante dois anos e ficou curada. Aos 97 anos, sofreu uma queda e quebrou o fêmur. Agora, anda com a ajuda de um andador, pois tem medo de cair novamente, como conta o professor.

"Ela consegue andar normalmente, mas, como tem medo de cair, ela anda com um andador”, explicou.

As duas filhas de Cezarina faleceram quando ainda eram crianças. Ela então adotou Denizia Abreu Silva quando tinha apenas um mês de idade. Denizia é filha de uma prima dela, que não tinha condições de cuidar dela e a entregou para a parteira.

Honório também explicou que Cesarina tem problemas de visão, mas que consegue identificar as outras pessoas pela fala. Também contou que a parteira não come carne vermelha e tem o costume de dormir e acordar cedo.

"Ela acorda as 5h da manhã e vai dormir cedo. Gosta de comer bastante fruta e não come carne vermelha", afirmou.

 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.9%
23.7%
1.3%