15/02/2017 às 14h41min - Atualizada em 15/02/2017 às 14h41min

Mulher diz que foi sequestrada e teve bebê roubado após parto

Midia News
Uma mulher identificada pelas iniciais de C.A.A., de 36 anos, que estava grávida, acionou a Polícia Militar na noite desta terça-feira (14), afirmando ter sido sequestrada e seu bebê, roubado. Ela foi encontrada na Rodoviária do Bairro Coxipó, em Cuiabá.
 
De acordo com o boletim de ocorrência nº 2017.54272, a vítima - que é moradora de Rondonópolis (212 km de Cuiabá) - estava com o marido e a irmã na Rodoviária da Capital, onde relatou ter sido sequestrada no dia 7 de fevereiro, de dentro da Santa Casa de Misericórdia da cidade.
 
Ela estaria com o parto marcado para aquele dia. Aos policiais, disse que estava sozinha no hospital, quando uma mulher loira, de boa aparência, se aproximou dela para puxar conversa.
 
A vítima diz que a mulher se identificou apenas como “Laura” e perguntou sobre sua gestação, o sexo do bebê e se ela teria um parto normal ou cesariana.
 
Neste momento, um casal que ela afirma também não conhecer - e seria amigo de “Laura” - se aproximou e, após um tempo de conversa, teria oferecido um copo de água.

C.A.A. contou que após ter tomado a água oferecida pela pessoa desconhecida, começou a se sentir sonolenta. Ela diz que se recorda apenas de ter dito para a Laura que não estava se sentindo bem.
 
Segundo a vítima, ela foi colocada deitada dentro de um Fiat Doblô e que depois disso acordou em uma residência, cujo endereço desconhece.
 
Lá a grávida contou ter sido levada para dentro de um quarto, onde foi colocada deitada em uma maca, ao redor da qual havia diversos equipamentos médicos. Lá, conta ter sido induzida ao parto normal.
 
De acordo com o boletim de ocorrência, após o parto C.A.A. contou que, sob ameaça de não lhe entregar a criança, foi obrigada a ligar para o marido e dizer que teve complicações no parto, e que, por isso, seria encaminhada para uma unidade hospitalar na Capital.
 
Segundo seu relato, ela passou o final de semana mantida refém dos suspeitos dentro da casa e que foi abandonada na noite de ontem na frente do supermercado Ford Atacadista, na Fernando Corrêa da Costa.
 
A mulher ainda disse que ligou para o marido e que, após ele chegar em Cuiabá, acionaram a Polícia Militar.
 
A vítima então foi encaminhada para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), onde os médicos plantonistas disseram que não dariam nenhum medicamento a mulher, pois qualquer intervenção poderia atrapalhar na perícia para saber se de fato ela estava grávida.
 
Com isso, a mulher foi encaminhada para o Instituto Médico Legal (IML), para realizar os exames periciais.
 
O caso será investigado pela Polícia Civil.
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.1%
4.7%
16.9%
77.3%