08/02/2017 às 12h25min - Atualizada em 08/02/2017 às 12h25min

Garra ganha 30 submetralhadoras e delegacias de Tangará recebem fachada padronizada

Assessoria | PJC-MT
Assessoria | PJC-MT
Com emenda de R$ 500 mil do Deputado Estadual, Saturnino Massom, a Polícia Judiciária Civil adquiriu 30 submetralhadoras e a instalação de fachadas padronizadas em três Delegacias da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso, na cidade de Tangará da Serra (239 km a Médio-Norte), melhorando a identidade visual das unidades no município.

A entrega do armamento e apresentação das fachadas foi realizada, na tarde dessa terça-feira (07.02), pelos diretores da Polícia Civil ao deputado estadual, Satunirno Massom.

“Achei por bem destinar essa emenda para a Polícia Civil porque acredito que o Estado tem que dar condições para as polícias trabalharem melhor aparelhadas. Assim como um comércio a delegacia também precisa estampar sua identidade. Isso inibe a bandidagem”, declarou o deputado Saturnino Masson.

Conforme o deputado, novas emendas poderão ser direcionadas a Polícia Civil para compra de equipamentos e melhorias das instalações físicas das delegacias. “É uma alegria ver essa emenda dando resultado e quero ser um parceiro”, finalizou.

As submetralhadoras calibre 9 mm, fabricação Taurus, automática, com 5 carregadores, para 30 munições calibre 9mm, serão destinadas para uso do Grupo Armado de Resposta Rápida (Garra), unidade vinculada a Gerência de Operações Especiais (Goe), da PJC.  Também foram adquiridas 28 carabinas 556, de fabricação Imbel, que a fabricante ainda não procedeu à entrega.

Para o delegado geral da Polícia Civil, Fernando Vasco Spinelli Pigozzi, a emenda parlamentar possibilitou comprar armamento de ponta que irá beneficiar todas as regiões de Mato Grosso. “Passamos por um momento econômico difícil e essa emenda nos auxilia muito diante da necessidade que tínhamos de um armamento diferenciado para atende o Garra. Vai fortalecer a Polícia Civil na capital e o interior e queremos retribuir com  muito trabalho e profissionalismo”, disse Pigozzi.

Fachada Padronizada

O morador de Tangará da Serra, que comparecer na Delegacia Regional, na Delegacia de Polícia, conhecida por CISC, e na Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, encontrará as fachadas de identificação das delegacias, dentro da padronização visual e de cores da Polícia Civil.

O delegado regional de Tangará da Serra, Alexandre Morais Franco, apresentou a  fachada das delegacias, mostrando o antes e depois da nova identificação. A fachada contém o Brasão, nome da Polícia Judiciária Civil, nome da Delegacia, feitos em Letra Caixa, em inox, valorizando a instituição e a unidade policial. “O deputado tem feito muito pela nossa região. Vamos receber no final do mês o treinamento para criar o Garra em Tangará e essas armas representa a estruturação técnica”, destacou.

Todo o processo de compra do armamento e instalação da fachada foi realizado pela Diretoria de Execuções Estratégicas (DEE). 

Armamento de ponta

As submetralhadoras são do mesmo modelo de armas já usadas pela Gerência de Operações Especiais (GOE). Para o chefe de operações da unidade, Ed Carlos da Silva Costa, as metralhadoras são armas modernas, leve, segura e compacta, dando mobilidade ao policial. “É uma arma eficiente com precisão de tiro e poder de parada, que não apresenta defeito. Já foi testada várias vezes em situações real e em curso e nunca apresentou defeito. É também uma arma de fácil manutenção”, avaliou.

A arma pode ser empregada em ações na área urbana e em ambiente confinado de curta distância.

Garra

O Grupo Armado de Resposta Rápida (GARRA), da Polícia Judiciária Civil, está implantado em oito regiões integradas da Segurança Pública.  Já está em atividade nos municípios de Cuiabá, Alta Floresta, Sinop, Barra do Garças, Rondonópolis, Juína, Confresa e Pontes e Lacerda. No dia 20 de fevereiro, a regional da Tangará da Serra inicia a capacitação de policiais para criação do Garra na localidade.

“Esse grupo tem treinamento necessário para fazer frente à criminalidade. As unidades podem trabalhar individualizadas e em conjunto. Agora o Garra está fortalecido com esse armamento”, disse o diretor de Atividades Especiais, Rogério Atílio Modelli.

A Garra é uma unidade operacional da Polícia Judiciária Civil, vinculada a Gerência de Operações Especiais (GOE), da Diretoria de Atividades Especiais.


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.1%
4.9%
17.6%
76.5%