07/02/2017 às 11h09min - Atualizada em 07/02/2017 às 11h09min

Corregedora se reúne com juízes do polo de Barra do Garças

Ana Luíza Anache da Assessoria
Doze juízes do polo de Barra do Garças se reuniram na manhã desta segunda-feira (6 de fevereiro) com a corregedora-geral da Justiça, desembargadora Maria Aparecida Ribeiro, no Fórum de Água Boa. Esse foi o primeiro encontro da gestão 2017-2018 com os magistrados da região, realizado com o objetivo de estreitar os laços, apresentar o plano de trabalho para o biênio e ouvir os anseios dos juízes. A corregedora foi acompanhada pelos juízes auxiliares Aristeu Dias Batista Vilella e Ana Cristina Silva Mendes. 

A corregedora está aproveitando o calendário de realização do Aprimoramento Processual da Justiça Criminal para promover esse encontro com os magistrados. Apesar de não ser sede de polo, Água Boa é a primeira comarca a receber a atividade em razão de possuir unidade prisional. No início da reunião, Maria Aparecida Ribeiro lembrou o período que jurisdicionou na região, na comarca de Nova Xavantina, e os desafios encontrados. Disse que no decorrer dos anos muita coisa mudou, mas que as dificuldades ainda existem. 

“Queremos a união de todos os magistrados para um objetivo maior: a prestação jurisdicional de qualidade e a satisfação daqueles que buscam a Justiça”, afirmou a desembargadora corregedora, acrescentando que um elo fora do lugar compromete a engrenagem toda. Maria Aparecida falou também sobre as metas anuais do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). “Meta para nós significa trabalho. E paralelamente ao cumprimento dessa tarefa nós podemos fazer muita coisa”, ressaltou. 

A corregedora falou sobre o funcionamento da Auditoria de 1ª Instância do Foro Judicial da Corregedoria-Geral da Justiça de Mato Grosso (CGJ-MT) e como é feito o controle do andamento processual nas comarcas por meio do monitoramento de 38 indicadores. “Queremos contar com os senhores para cumprir as metas do CNJ e para reduzir a nossa taxa de congestionamento e o nosso estoque processual”, conclamou. 

A desembargadora ressaltou ainda a importância da alimentação correta dos sistemas, especialmente do Apolo, para que os relatórios apresentem as informações mais fidedignas possíveis, e contou a dificuldade encontrada para levantar o número de presos provisórios por comarca. Por último, Maria Aparecida Ribeiro colocou a equipe da CGJ-MT à disposição. “Queremos fazer um trabalho de forma unida. Assim, faremos a diferença e certamente vamos vencer”, destacou. 

Durante o encontro, a desembargadora corregedora também apresentou os juízes auxiliares e falou sobre a publicação da ordem de serviço com as atribuições de cada um. Participaram da reunião os magistrados: Alexandre Meinberg Ceroy (1ª Vara de Água Boa), Arom Olímpio Pereira (2ª Vara de Canarana), Augusta Prutchansky Martins Gomes Negrão Nogueira (2ª Vara Criminal de Barra do Garças), Carlos Augusto Ferrari (1ª Vara Criminal de Barra do Garças), Fernando da Fonsêca Melo (Vara Especializada dos Juizados Especiais de Barra do Garças), Francisco Junqueira Pimenta Barbosa Sandrin (Vara Única de Novo São Joaquim), Francisco Ney Gaíva (4ª Vara Cível de Barra do Garças), Ítalo Osvaldo Alves da Silva (Vara Única de Campinápolis), Michel Lotfi Rocha da Silva (1ª Vara Cível de Barra do Garças), Pedro Davi Benetti (3ª Vara de Água Boa), Ramon Fagundes Botelho (2ª Vara de Água Boa) e Wagner Plaza Machado Junior (3ª Vara Cível de Barra do Garças). 
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.2%
24.5%
1.4%