Araguaia Notícia  Publicidade 1200x90
Araguaia Notícia  Publicidade 728x90
20/12/2016 às 14h53min - Atualizada em 20/12/2016 às 14h53min

ONG tenta arrecadar na web dinheiro para custear tratamento do 'Bolinha'

G1 MT
A ONG OPA-MT tenta arrecadar com uma vaquinha online dinheiro para custear exames para o vira-lata Bolinha, que voltou a ficar obeso um ano após ter parado com o tratamento para emagrecer numa clínica veterinária, em Cuiabá. Quando foi resgatado numa lanchonete de um posto de combustíveis na BR-364 em 2014, ele estava com 36,5 kg. Com ração especial e exercícios, conseguiu chegar aos 20 kg em 2015. Mas, atualmente, está com 38,4 kg, ou seja, mais pesado que quando foi resgatado.

A ideia é conseguir, pela internet, R$ 3 mil. A campanha começou na última sexta-feira (16) e até a manhã desta terça-feira (20), tinha sido arrecadado R$ 1,2 mil.

No sábado (17), Michelle Scopel, da OPA-MT, levou o animal para fazer alguns exames numa clínica veterinária. Os primeiros resultados indicam alteração no fígado, um princípio de infecção e proteína alta.

Bolinha ainda vai fazer exames hormonais, para saber se há alguma alteração, além de exames cardíacos.

Para Michelle, o fato do animal estar agora ainda mais pesado do que na época em que vivia na lanchonete, quando comia restos de salgados e comida, reforça a suspeita de que ele possa ter algum tipo de problema hormonal. "Ele não come tanto assim. Come como um animal qualquer. Não pode ser normal ter engordado tanto", disse.

Bolinha quando ainda vivia na lanchonete na BR-364 (à esq.) e atualmente,  na casa de responsável pela OPA-MT (à dir.). (Foto: Nill Vianna/Michelle Scopel)

Bolinha quando ainda vivia na lanchonete na BR-364 (à esq.) e atualmente, na casa de responsável pela OPA-MT (à dir.). (Foto: Nill Vianna/Michelle Scopel)



O vira-lata vive, atualmente, na casa de Michelle, com aproximadamente outros 50 animais, entre cães e gatos. Segundo ela, Bolinha não precisará ficar internado para perder peso como quando foi resgatado. Mas terá que, pelo menos, voltar a fazer esteira aquática como parte do processo de perda de peso. Cada sessão na esteira custa R$ 97.

O tratamento para emagrecer do animal teve que ser interrompido por falta de recursos por parte da ONG. Somente os custos com a escola de adestramento, onde Bolinha fazia exercícios físicos, eram de R$ 500 por mês. Um saco de ração de 8 kg para cães obesos custa mais de R$ 200.

Bolinha caminha na esteira aquática todos os dias em Cuiabá (Foto: Carolina Holland/G1)

Bolinha caminha na esteira aquática todos os dias em Cuiabá (Foto: Carolina Holland/G1)

Araguaia Notícia  Publicidade 790x90


Entre no grupo do Araguaia Notícia no WhatsApp e receba notícias em tempo real  CLIQUE AQUI
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Araguaia Notícia  Publicidade 1200x90