22/11/2016 às 08h18min - Atualizada em 22/11/2016 às 08h18min

Identificação de preso esquartejado em Água Boa virá com DNA

Inácio Roberto / Interativa FM
Reprodução

A polícia recolheu com ajuda de agentes prisionais, na segunda-feira (21/11), os restos mortais do preso esquartejado cujo corpo foi encontrado dentro da rede de esgoto do presídio Major Zuzi, na cidade de Água Boa. 

O único preso que não respondeu à chamada na cela foi Leandro Real Pereira, mas a confirmação só virá após exame de DNA que pode demorar alguns meses. Os restos mortais do detento foram encaminhados para Barra do Garças e posteriormente serão levados para o setor de Antropologia em Cuiabá.

Este detento mencionado veio transferido recentemente da Penitenciária Central de Cuiabá. Segundo fontes da penitenciária, pertencia ao PCC – primeiro Comando da Capital, uma facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios em todo país.

O corpo foi esquartejado e desossado. As partes moles do corpo tinham sido jogadas no esgoto da cela. Somente os ossos foram encontrados pelos técnicos da Politec.

Como a câmara fria da Politec de Água Boa está estragada, os restos mortais foram encaminhados para Barra e serão analisados pelo setor de Antropologia do IML de Cuiabá.

Todos os detentos da cela 9 foram encaminhados para delegacia para prestarem depoimento. A polícia apura a partir de agora que instrumento foi utilizado para esquartejar o corpo; quem participou do crime e quais os motivos. Quem for responsabilizado pela morte do reeducando, pode ser enquadrado nos crimes de homicídio qualificado, ocultação de cadáver, associação criminosa, entre outros.

O inquérito foi aberto pelo delegado Sued Dias, da cidade de Cocalinho, em substituição a delegada Luciana Canaverde, que está de licença médica.
 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.2%
4.4%
17.2%
77.2%