02/11/2016 às 16h26min - Atualizada em 02/11/2016 às 16h26min

Multa para quem dirigir alcoolizado será de quase R$ 3 mil

Midia News
Reprodução

As multas de trânsito ficarão mais caras a partir desta terça-feira (1º) em todo o Brasil. Uma das mudanças é para quem for pego dirigindo alcoolizado – nesse caso, o valor da infração terá aumento de 53%: passará de R$ 1.915,40 para R$ 2.934,70, além da suspensão do direito de dirigir por um ano.

De maneira geral, as multas leves vão passar de R$ 53,20 para 88,38. A média subirá para R$ 130, a grave passará a ser R$ 195,23 e as gravíssimas serão reajustadas para R$ 293,47.

Além disso, quem se recusar a fazer o teste do bafômetro ou o exame clínico vai pagar o valor máximo da multa. Em caso de reincidência, o preço pode ser multiplicado por 10.

Outras infrações

A multa para quem andar sem cinto de segurança agora será considerada grave: R$ 195 de punição, além de 5 pontos na carteira.

A multa para quem dirigir usando o celular passará de grave para gravíssima. Se antes era de apenas R$ 88, agora a infração deve “doer” mais um pouco no bolso, já que o valor subiu para R$ 293.

Outra mudança será para quem insistir em usar as vagas destinadas para pessoas idosas ou deficientes físicos em estacionamentos. A multa passará de grave para gravíssima: de R$ 127,69 para R$ 293,47.

Haverá mais rigidez também para aqueles condutores que atingirem os 20 pontos na CNH por multas de trânsito. Eles terão o direito de dirigir suspenso por, no mínimo, seis meses. Antes era apenas um mês.

Fiscalizações intensificadas

De acordo com o delegado titular da Delegacia de Delitos de Trânsito (Deletran), Jefferson Dias, além do aumento nas penalidades, as fiscalizações também serão intensificadas.

“Nós vamos observar agora com mais frequência. É essa a ideia da ‘operação open bar’. Iremos apertar mais, porque ainda tem gente que, mesmo com esse aumento, não tem noção do perigo”, disse.

Para ele, mesmo com o aumento de mais de 50% nas multas, as pessoas devem demorar a se conscientizar. Ele acredita que elas irão apenas se tornar mais temerárias.

“A ideia era que ninguém tivesse que: precisar pagar, que não se recusassem a fazer o teste do bafômetro, nem estar dirigindo alcoolizado. Agora a pancada vai ser forte. Se antes R$ 1.915 já era um valor alto, imagina R$ quase 3 mil?”.

“Por um lado esse aumento vai ser bom, porque o brasileiro infelizmente só entende quando dói no bolso. Porque quando eles recebem a multa em casa, começam a refletir que não irão mais cometer a infração. Aí pessoa chega a ficar até com raiva do sistema, mas o seu subconsciente, fala que isso que ele fez foi errado, e é quando ele para pra pensar: ‘poxa vida era um dinheiro que eu poderia empregar na minha família, no meu lazer com meus filhos, ou numa viagem'. Então acredito que agora os motoristas vão ficar mais atentos”, explicou. 

infrações

infrações


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.3%
4.5%
16.9%
77.3%