31/10/2016 às 20h32min - Atualizada em 31/10/2016 às 20h32min

Barra-garcense é citado como possível candidato a governador em 2018

Rdnews
Reprodução Antônio Joaquim deve deixar o TCE em dezembro

O barra-garcense Antônio Joaquim, presidente do Tribunal de Contas de Mato Grosso, foi lembrado como um possível candidato a governo de Mato Grosso em 2018 em artigo publicado segunda-feira (31/10) no site Rdnews. A análise foi feita pelo jornalista Romilson Dourado, um dos mais conceitudos e respeitados da impresa de Mato Gros, que destaca o sucesso do PMDB nas urnas na eleição deste ano.

Acompanhe o artigo do Rdnews que coloca Barra do Garças em destaque no cenário político de Mato Grosso como aconteceu na década de 80 quando Wilmar Peres de Farias (falecido) chegou ao cargo de governador.  

Artigo

Com a consolidação do PMDB como a maior força política do Estado, considerando que seus 15 prefeitos eleitos, incluindo o da Capital, representam municípios com praticamente 30% do eleitorado, o partido já dar o start rumo à sucessão de 2018. E, desde já, anuncia nos bastidores que terá como candidato a governador o hoje presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Antonio Joaquim, que deixará o órgão no próximo ano para encarar o teste das urnas. Antes de ocupar o cargo vitalício, Joaquim foi deputado estadual e federal e secretário de Estado.

O presidente regional do PMDB, deputado Carlos Bezerra, vem enfatizando que o partido tem compromisso em buscar um amplo arco de alianças e com prioridade à pré-candidatura de Joaquim. Considera-o preparado para o embate, possivelmente com o governador Pedro Taques (PSDB), que tende a buscar a reeleição.

Bezerra se mostra empolgado porque a legenda peemedebista sai das urnas de 2016 fortalecida, especialmente em cidades pólos. Pelo PMDB, conquistaram a reeleição Beto Farias, primo de Antonio Joaquim e prefeito de Barra do Garças, Fábio Junqueira, em Tangará da Serra; e Asiel Bezerra, em Alta Floresta. A prefeita eleita de Sinop, na capital do Nortão, Rosana Martinelli é do PR, mas sua vitória entra numa espécie de "cota" do PMDB por causa da influência e do peso eleitoral do prefeito peemedebista Juarez Costa.

Segundo informações de bastidores, vários prefeitos, desde já, firmaram compromissos políticos de apoiarem Joaquim para o governo estadual, inclusive de outras legendas, como é o caso de Mauro Rosa, o Maurão (PSD), reeleito em Água Boa. Alguns deputados e vereadores também estariam fechados com o PMDB, visando o pleito de daqui a dois anos.

Comenta-se, em privado, que a candidatura vitoriosa de Emanuel Pinheiro em Cuiabá fora "costurada" por Antonio Joaquim. Por isso, em retribuição, o prefeito eleito da Capital se empenhará para viabilizar o projeto político liderado pelo conselheiro rumo ao Palácio Paiaguás. Pelo visto, a pré-campanha de 2018 já começou a partir desde domingo, com o resultado das urnas de segundo turno na Capital.


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.2%
24.5%
1.4%