27/10/2016 às 14h40min - Atualizada em 27/10/2016 às 14h40min

Policia civil prende autor de furto de baterias

Interessante News
Midia News

Policiais civis de Nova Xavantina prenderam em flagrante na tarde desta quarta feira, 26, Lucas Henrique Gomes de Oliveira, de 19 anos, autor do furto de duas baterias de caminhão na Av.Couto Magalhães, nas imediações do Lions Club. Os policiais chegaram ao assaltante após o mesmo ter vendido as baterias para Raian Renate Pires, que na ação passou a ser o receptador do produto.

Ambos foram autuados em flagrante em encaminhados para o presídio de Água Boa, enquanto o processo corre na Justiça. A Polícia adverte a população para que não compre mercadorias vendidas por terceiros, sem nota fiscal e à preços muito abaixo do mercado, pois geralmente são produtos de roubo, e nestes casos o comprador passa a figurar como receptador dos produtos roubados, o que implica nas ações penais cabíveis.

                          AS CONTRADIÇÕES DA JUSTIÇA

Falando ao site IN, o delegado da Polícia Civil de NX, Dr,. Sidarta Vidigal de Almeida, mais uma vez criticou o sistema judiciário brasileiro, que solta os bandidos antes mesmo de serem concluídos os respectivos inquéritos processuais. Para ele, todos as instituições envolvidas com a segurança, deveriam trabalhar com um só objetivo: tirar os bandidos das ruas e preservar a segurança da população.

Ele relata casos de bandidos perigosos, que são presos, cumprem um curto período na cadeia e são soltos mediante as brechas e regalias das leis previstas na Constituição, voltando a causar problema para a sociedade. "O Patrick por exemplo, que prendemos ontem, há pouco tempo ele quase matou uma moça, ao tentar roubar seu lep top, nós o prendemos, ele não cumpriu nem um ano na cadeia, foi solto e quase matou de novo, desta vez o Raimundinho" exemplificou o delegado.

Segundo ele, esse processo desmoraliza as autoridades e dá asa para os bandidos, que agem calcados na sensação de impunidade e de fragilidade das leis. "É preciso haver mais diálogo entre as Instituições para acabar com a criminalidade; só prender não adianta, as polícias civil e militar de NX por exemplo tem prendido, dado respostas à população, mas do que adianta?" diz ele.

                             ENXUGANDO GELO

Para Dr. Sidarta, a situação vai ficar pior quando chegar no interior a aplicação das audiências de custódia, que já estão sendo aplicadas nas grandes cidades, Cuiabá por exemplo, em que o preso é conduzido ao Juíz no momento da prisão, e perante uma audiência com a presença do Ministério Público, Defensoria Pública e orgãos afins- são soltos ali mesmo, no ato da prisão.

"Aí sim a coisa vai ficar feia" diz o delegado, para quem, enquanto não se mudar ou adequar a Constituição, que é uma solução à longo prazo, a opção seria a união entre as Instituições envolvidas com a segurança -polícias civil e militar, Fórum, Ministério Público e Defensoria Pública, com um trabalho de parceria entre os envolvidos, com o objetivo único de acabar com a criminalidade.

"Enquanto isso não acontecer nós estaremos "enxugando gelo", o que é desanimador para nós que lidamos com bandidos todos os dias" finalizou Dr. Sidarta.


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.3%
24.3%
1.4%