18/10/2016 às 17h16min - Atualizada em 18/10/2016 às 17h16min

Sumiço da manicure de Barra do Garças completa um ano sem pistas

G1 MT
Família

Nenhum suspeito de envolvimento no desaparecimento da manicure Sandra Godoy, de 30 anos, que desapareceu há mais de um ano, foi identificado. A Polícia Civil informou ainda que não tem nenhuma pista sobre o paradeiro dela. Apesar disso, o inquérito não foi encerrado e a polícia espera por novas denúncias para dar andamento às investigações.
Sandra desapareceu no dia 28 de setembro do ano passado.

Ela viajava de Barra do Garças, cidade onde morava, situada a 516 km de Cuiabá, com destino a Ribeirão Cascalheira, a 893 km da capital. À época, familiares afirmaram que ela iria viajar para receber uma dívida.

O caso já foi conduzido à delegada Luciana Canaverde, da Polícia Civil de Água Boa, a 736 km da capital, e pelo delegado regional Welber Batista Franco, do mesmo município. Recentemente, as investigações retornaram para as mãos da delegada Luciana.

O ex-namorado da manicure, que tem 56 anos, chegou a ser preso preventivamente em dezembro do ano passado e ficou detido por quase dois meses. Ele era um dos principais suspeitos do crime, mas negou o envolvimento com o desaparecimento de Sandra.

De acordo com a Polícia Civil, ele foi solto por falta de evidências que o ligavam ao sumiço da ex-namorada. A polícia disse ainda que as todas as linhas de investigações foram esgotadas e que, por isso, aguarda nova denúncia para dar sequência na apuração.

Segundo Luis Carlos Godoy, irmão de Sandra, os familiares buscam llevar a vida adiante. Eles têm contribuído com a polícia a partir de algumas informações que recebem de conhecidos e desconhecidos.

O irmão da jovem comentou que a sobrinha dele, de 13 anos, filha de Sandra, está morando com o pai em Canarana, a 828 km de Cuiabá. Ele relatou que a menina, assim como a família, está tentando seguir a vida, apesar da angústia.

“Emocionalmente, ela está bem. Até onde a gente sabe, ela não tem tido dificuldade no cotidiano e nem na escola. É aquilo, apesar de tudo, a gente precisa seguir a vida. Mas é uma batalha diária. Só vamos ficar realmente bem quando soubermos o que aconteceu com ela”, pontuou.

Desaparecimento

Sandra Godoy manteve contato pela última vez com a família no dia 28 de setembro, quando viajava de Barra do Garças para Ribeirão Cascalheira. Ela falou pelo telefone com a filha informando que estava tudo bem. Parentes da jovem chegaram a investigar o sumiço por conta própria.

Letícia Godoy, irmã dela, chegou a dizer que achava que a manicure tinha sido vítima de emboscada. “Imaginamos que alguém tenha feito uma armadilha para ela. Minha irmã jamais ficaria tanto tempo sem manter contato, até porque morava só ela e a filha e ela se preocupava com a menina. Ela não desgrudava do celular”, disse há aproximadamente um ano.

Para auxiliar nas investigações, a Justiça de Mato Grosso chegou a autorizar a quebra do sigilo telefônico de Sandra. Os dados, porém, não ajudaram a polícia a encontrar o suposto paradeiro da jovem ou até mesmo a apontar algum possível suspeito de ter agido para sumir com ela.


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.2%
24.5%
1.4%