17/10/2016 às 08h33min - Atualizada em 17/10/2016 às 08h33min

Três cidades de Mato Grosso podem ter nova eleição

Rdnews
Reprodução

Um levantamento recente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) revela que os votos de 14 cidades ficaram parcialmente 'congelados' devido à impugnação de registros de candidatos a prefeito. Destas, em três municípios podem haver nova eleição: Primavera do Leste, Mirassol d’ Oeste e Torixoréu.

Nestes casos, os "barrados pela Justiça", que disputaram sub judice, tiveram mais de 50% dos votos e/ou ambos estão enrolados judicialmente - veja quadro.

Em Torixoréu, por exemplo, os eleitores ainda não sabem quem será o próximo prefeito, tendo em vista que os dois candidatos que pleiteavam o cargo - Inês Coelho (PP) e Sílvio Figueiredo (PSDB) - tiveram os votos congelados. A situação de ambos ainda será definida pelo Pleno do TRE. Caso nenhum deles consiga reverter a decisão, serão realizadas novas eleições. Inês teve 1.520 votos contra 1.276 do candidato tucano, contudo, os votos não foram computados para efeito de eleição majoritária.

O ex-prefeito de Primavera do Leste Getúlio Viana (PSB) obteve 19.057 votos, que, segundo o Tribunal Regional Eleitoral, equivalem a 64,18%, mas os números estão congelados. E, por enquanto, aparece como prefeito eleito Paulo Berch (PMDB), que teve 10.636 votos. O problema é que a nova legislação determina que se o candidato indeferido obtiver mais de 50% dos votos, há nova eleição.

Já em Mirassol d'Oeste, o então candidato Elias Leal (PSD) foi o mais votado, contudo, foi indeferido e está com recurso. Elias recebeu 7.830 votos, o que representa, segundo o TRE, 56,13%. Mas no sistema aparece como eleito Dr. Jeferson (PSDB), que conseguiu 6.121 votos, e não assume o posto de maneira alguma. Assim, se Elias não conseguir reverter a situação, haverá nova eleição na cidade.

 Há ainda os casos curiosos como o de Conquista D' Oeste, que teve dois candidatos a prefeito impugnados - Walmir Guse (PSDB) e Fabio Herbert (PPS). Walmir conseguiu 818 votos, já Fabio 554. O eleito José Carlos (PMDB) teve 827 votos. A soma dos votos dos três chega a 2199, isto é, se os candidatos não estivessem impugnados. Dividindo esse total em porcentagem, os dois candidatos que tiveram os votos congelados teriam 62,40%, maior que o percentual do eleito.

Outros impugnados

Em Lucas do Rio Verde, o prefeito impugnado Otaviano Pivetta quase chegou a atingir 49,58% dos votos, correspondentes a 14.166 eleitores, e não conseguiu a reeleição. O prefeito eleito, Luiz Binotti (PSD) obteve nas urnas 14.408 votos. Em Santo Afonso, Gordo Salim (PR) conseguiu 963 votos, o que representa 46,95%. Já o eleito, Joabe Xiru, índio Velho (PSDB), obteve 1088 votos. A situação é a mesma em outros nove municípios.

Eleições suplementares

Nos últimos sete anos foram realizadas 12 eleições suplementares no Estado. Em 2013, por exemplo, os eleitores de Juara e Glória D'Oeste tiveram que voltar às urnas em 7 de julho daquele ano. Oscar Bezerra (PSB) disputou a Prefeitura de Juara, em 2012, com o registro indeferido e chegou até a ser eleito, mas o município teve eleição suplementar. Edson Piovesan acabou sendo eleito prefeito no ano seguinte na nova eleição. Neste ano, a família Bezerra conseguiu a Prefeitura de Juara com a vitória de Luciane Bezerra (PSB).  


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

74.1%
24.5%
1.4%