03/07/2012 às 16h15min - Atualizada em 03/07/2012 às 16h15min

Clã dos Farias polariza disputa de Barra do Garças em processo eleitoral atípico

Olhar Direto
Olhar Direto

Os primos Wanderlei Farias (PR), atual prefeito de Barra do Garças, e Roberto Farias (PSD), empresário do setor hoteleiro, devem polarizar a eleição naquele município, num pleito que pode ser atípico. Mesmo com Wanderlei, que está no terceiro mandato, não concorrendo à reeleição, ele deve incomodar seu primo desafeto – o empresário Beto Farias, candidato do PSD, filho do ex-governador Wilmar Peres, com duas candidaturas.

O Olhar Direto apurou que duas candidaturas teriam sido articuladas por Farias ou pelo menos surgiram no seio de seu grupo politico.

A primeira candidatura supostamente articulada por Wanderlei, hoje considerado um dos homens mais ricos de Mato Grosso, é de Andréia Santos (PR), sobrinha do líder republicano. A segunda seria do empresário Ubaldino Rezende (PDT).

Conhecido por "Badico do Ibama", Ubaldino nega ser candidato chapa branca, ou seja, de ter o apoio de Wanderlei Farias, e diz que seu projeto político é uma proposta alternativa para o município. Contudo, há rumores de que Ubaldino teve respaldo de Wanderlei, cuja estratégia é lançar vários candidatos para diluir os votos e, com a força da máquina administrativa, eleger a sobrinha Andréia.

É uma estratégia natural de uma raposa política, que não gosta de perder. Todavia, ele sabe que a tarefa será árdua, porque o candidato do PSD, Roberto Farias, vem liderando as pesquisas e aposta no legado político do pai, o ex-governador Wilmar Peres de Farias (já falecido), e na parceria com o Partido dos Trabalhadores (PT), da presidente Dilma Rousseff, para vencer o pleito de outubro.

Além da ardilosa disputa engedrada por WF, correm por fora mais dois candidatos: o deputado estadual Adalto de Freitas, o Daltinho (PMDB), e Fernando Lira (PTC). Um detalhe interessante: a eleição de Barra, com cinco candidatos, pode ter um prefeito eleito com uma votação entre 10 mil e 12 mil votos, diante de um universo de pouco mais de 40 mil eleitores. E é nessa distribuição que WF aposta para emplacar a sobrinha.

Por outro lado, Beto Farias, cuja candidatura é sustentada por uma liminar (ele responde por crime eleitoral por propaganda extemporânea no pleito de 2010), aposta no desgaste político de Wanderlei. Nos bastidores, seus adversários apostam na possibilidade de ele ter a liminar cassada. Nessa linha de raciocínio, a meta dos concorrentes de Beto Farias é chegar em segundo lugar e torcer por um revés

Na outra ponta da plutocracia e da elite barra-garcense, o peemedebista Daltinho se tornou um franco atirador e vem usando o bordão "chega de Farias" para ser uma opção concreta para o eleitor de Barra. Essa será a terceira vez que o peemedebista concorrerá à prefeitura.

Em 2004, Daltinho perdeu para Zózimo Chaparral, do PCdoB. Em 2008, apoiou Maria do Mercado, do PMDB, e saiu derrotado por Wanderlei Farias; em 2010, sucumbiu nas urnas pela disputa por uma cadeira na Assembléia Legislativa.

Barra do Garças pode ter uma das eleições mais emblemáticas dos últimos anos. A família Farias está dividida. Cinco candidatos e 41 mil votos em disputa. A cidade com renda de 3,8 milhões por mês e problemas de desemprego, falta de estrutura para o turismo, parque industrial e falta de habitação, entre outras circunstâncias. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.0%
3.7%
11.8%
83.5%