04/09/2016 às 21h23min - Atualizada em 04/09/2016 às 21h23min

Obra de ampliação na ALMT deve começar ainda este ano diz deputado Nininho

Assessoria

Um ‘Ganha Tempo’ adequado, um estacionamento com cinco pisos, uma creche para 100 crianças, um restaurante, uma nova Escola do Legislativo e uma sala para atendimento de autoridades constam no projeto de ampliação do prédio da Assembleia Legislativa, cuja construção está prevista para iniciar ainda este ano. A notícia foi dada pelo primeiro-secretário da Casa de Leis, deputado Ondanir Bortolini (PSD), Nininho, em entrevista coletiva na última quinta-feira (01).

O parlamentar explicou que a obra atende a uma série de demandas da ALMT e prevê soluções para situações vindouras. A parte da construção que recebeu maior destaque do parlamentar foi o estacionamento. Ele explicou que, em dias de grande fluxo, como às quartas-feiras, são necessárias de 600 a 700 vagas para veículos. Lembrou que o estacionamento que fica do outro lado da rua é do governo, que “tem o desejo de construir um novo Palácio (Paiaguás), que seria nesta área”, com a criação do Parque das Águas. No projeto arquitetônico do Legislativo, o estacionamento terá cinco andares.

A obra “foi apresentada no Colégio de Líderes, tem projeto elaborado, foi analisada pelos órgãos competentes e está em fase final de licitação”, contextualiza o deputado, que avalia que a ampliação “vem para melhorar ainda mais a estrutura e garantir conforto aos servidores”.

A ideia primordial, entretanto, é ofertar uma série de serviços ao cidadão, hoje prestados no Espaço Cidadania, em um ambiente adequado, que Nininho chamou de outro ‘Ganha Tempo’.

Consta no projeto que a nova Escola do Legislativo, em parceria com a Unemat, poderá oferecer cursos superiores a funcionários da AL a baixo custo, “já que a Casa dará a contrapartida do espaço, energia e água”. Completam a obra uma creche, uma sala Vip (do inglês Very Important Person) e um novo restaurante.

Nininho destaca que os trabalhos começarão a ser executados ainda em 2016, com custo em torno de R$ 60 milhões – recurso que garantiu que a Assembleia terá graças às ações de economia. “Isso é mérito desta gestão, que a fez de forma diferenciada”, defende.


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.6%
5.5%
17.6%
75.2%