19/05/2012 às 15h39min - Atualizada em 19/05/2012 às 15h39min

Mega leilão 10.012 da Estância Bahia em Cuiabá (MT) pode chegar a 23 mil bovinos

Àgua Boa News
Reprodução

Será amanhã (19), às 12h, a última etapa de vendas do Megaleilão 10.012 da Estância Bahia, pelo Canal Terra viva. O compromisso é vender 10.012 animais, entretanto, o volume de inscrições indica uma oferta superior às 22.860 cabeças apregoadas em 2011."O gado foi vistoriado em mais de 50 propriedades, atendendo todas as especificações necessárias. Nossos clientes novamente contarão com uma oferta de muita qualidade, principalmente se tratando de rusticidade, precocidade e velocidade de terminação do gado", ressalta Guilherme Tonhá,gerente-administrativo do Grupo Estância Bahia.

Essa, aliás, é uma característica marcante em todos os remates promovidos pela Estância Bahia, que chega aos 21 anos de existência com mais de dois milhões de animais comercializados. Nos megaleilões, preço pode ser um fator determinante, tanto para quem vende quanto para quem compra.Muitos, inclusive, reservam seu gado para vender apenas no evento. É o caso do pecuarista Paulo Bernardes, da Fazenda Castelo, de Cáceres (MT), que separou mais de 1.000 machos Nelore, a maioria garrotes de 12 a 18 meses. "Faço are cria e vendo no megaleilão porque, dessa forma, não fico a mercê da indústria.Uma grande vantagem, sem sombra de dúvidas, é a valorização da arroba do boi", afirma. Outro grande vendedor de Cáceres é Luiz Roberto Barbosa Barros, das fazendas Retiro e Toca Vaca, com 1.440 machos nelore...

Quem trabalha com cruzamento industrial também costumam apartar gado para o leilão. Conhecida pela genética diferenciada e o emprego de alta tecnologia na criação, a Agropecuária Nova Vida, de Ariquemes(RO), está entre os vendedores. A fazenda comercializará 720 animais, entre machos e fêmeas, com sangue aberdeen angus, Red angus, senepol e nelore de inseminação com sêmen de touros avaliados de várias centrais. "Essa é a primeira vez que participamos como vendedores. Acompanhei o leilão em Água Boa e notei que há uma valorização para animais de cruzamento", explica.

Uma grande vantagem apontada por muitos é o volume em oferta. É o caso do Grupo Primo Menegalli, com empreendimento em Barra dos Bugres (MT). "O Megaleilão conta com uma ampla estrutura, além de volume e qualidade. A comodidade, talvez, seja o melhor benefício. Posso comprar um volume considerável e buscar com uma folga de tempo. Se não puder retirar na hora, sei que serão bem tratados no confinamento da Estância Bahia", explica o empresário Primo Menegalli.

Em Água Boa (MT) e Britânia (GO) – A primeira etapa do circuito aconteceu em 21 de abril, na cidade de Água Boa, no Mato Grosso. Em apenas oito horas, foram a leilão exatos 40.941 animais de cria, recria e engorda, superando a edição anterior em volume de animais. O público foi um destaque à parte, pois nada menos que 2.500 pessoas, entre pecuaristas, empresários e lideranças políticas, lotaram as dependências do recinto para presenciar o maior acontecimento da pecuária mundial. Com liquidez total, o faturamento alcançou R$ 34.582.448,00. A penúltimo fase foi em Britânia, Goiás, em parceria com a Associação dos Produtores do Vale do Araguaia (Aprova). Os 6.842 bovinos em leilão renderam R$ 5.876.744,00. Cerca de 1.000 pecuaristas lotaram as instalações do recinto de leilões Lago dos Tigres,local de realização. Cada macho foi vendido pela média de R$ 986,00, enquanto que as fêmeas a R$ 606,00.


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%