26/04/2016 às 14h09min - Atualizada em 26/04/2016 às 14h09min

Em caso considerado raro, ovelha dá à luz quadrigêmeos em sítio de MT

G1 MT

Os donos de uma propriedade rural de Nova Ubiratã, município distante 506 km de Cuiabá, foram surpreendidos com um caso considerado raro por médicos veterinários: o nascimento de ovelhas quadrigêmeas. A mãe pariu os filhotes há pouco mais de três semanas num sítio no qual são criadas 300 cabeças de ovelhas das raças Santa Inês e Dorpe.

"Venho desde os meus pais, que sempre tiveram para consumo de 10 a 12 ovelhas. E daí a paixão foi crescendo e eu vi que podia associar a paixão a lucros também. Então eu participei de uns dias de campo. Achei bacana, achei legal e comecei a comprar mais fêmeas e investir na produção", disse o dono da fazenda, Volmir Ros.
Os donos da propriedade contam que as gestações das ovelhas têm chamado a atenção devido aos partos múltiplos já há alguns meses. No ano passado, foi registado o primeiro deles: o de três carneirinhos. O fato se repetiu algumas vezes, até ocorrer o parto quádruplo.

Milton Pain, funcionário de confiança da família, foi quem encontrou os carneirinhos. "Eu imaginei que pudessem ser de duas ovelhas. Aí eu olhei e vi que não tinha outra ovelha parida e vi que era tudo dela. Os quatro eram dela", disse.

Filhotes têm pouco mais de três semanas de vida (Foto: Reprodução/TVCA)

Filhotes têm pouco mais de três semanas de vida (Foto: Reprodução/TVCA)

Este tipo de parto é realmente raro, garante o médico veterinário André Bratz, que acompanha a criação no sítio. "Não é normal e não é comum, tanto que na estatística, a cada dois mil partos pode acontecer um quádruplo que nem aconteceu aqui na propriedade", disse. O normal é nascer um ou dois filhotes por fêmea", acrescentou.

Os filhotes são pretos e todos têm a ponta do rabo com uma manchinha branca. E o segredo para tantos partos múltiplos na propriedade pode ser mais simples do que se imagina: o cuidado com a alimentação dos animais. Além do pasto, as ovelhas recebem doses de ração de milho e feijão todos os dias. E toda a reprodução é por monta, não há inseminação.

"Isso acontece quando as ovelhas têm um aporte nutricional bem adequado, com boa alimentação, então começa a entrar num ganho de peso. Isso responde na maior produção de hormônio, ela cicla com mais facilidade e podendo dar uma ovulação maior como aconteceu", explicou o veterinário.

O veterinário afirma que dificilmente as ovelhas teriam sobrevivido sem a atenção e os cuidados da família dona do sítio.

"Se fosse uma criação mais extensiva e essa ovelha estivesse a campo, provavelmente seria muito mais difícil de conseguir fazer esses filhotes todos sobreviverem porque ela só tem duas tetas. Então, ela só conseguiria nutrir dois. Aqui, como tem uma mão de obra familiar, que cuida bem dos animais, provavelmente vai ter êxito na criação sem problemas", disse Bratz.


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.1%
4.6%
16.9%
77.5%