15/05/2012 às 11h48min - Atualizada em 15/05/2012 às 11h48min

Funcionários e empresas de ônibus farão protesto contrário à licitação

Olhar Direto
Bus Goiás

Motoristas e funcionários das empresas de transporte rodoviário de Mato Grosso realizam terça-feira (15) uma manifestação na rodoviária de Cuiabá contra a participação das empresas nacionais na licitação das linhas intermunicipais do estado nesta sexta-feira (18). Os funcionários temem perder os empregos porque as empresas regionais podem perder espaço para as empresas nacionais. A medida pode gerar a perda de 3 mil empregos.

O presidente do Sintro em Barra do Garças, Juarez Batista, explica que a licitação com empresas nacionais será a falência da maioria das empresas pioneiras de MT há 40 anos como Andorinha, Sol Nascente, Tut Transportes, Xavante, Barratur, Rubi e Mota, que correm o risco de perder espaço para gigantes do transporte nacional como Expresso Guanabara e a Gol transporte terrestre.

“Essa licitação sem prestigiar as empresas já sediadas aqui vai gerar desemprego”, frisou Juarez. Ele destacou que, no Araguaia, as empresas Xavante e Barratur podem perder as linhas regionais e colocar em risco 400 empregos. A situação também afeta as empresas de Cuiabá, das regiões Norte e Sul do Estado.

A licitação do transporte em MT foi imposta pelo Ministério Público Federal (MPF) no final do mandato do ex-governador Blairo Maggi, que, segundo o sindicato, cedeu à pressão das empresas nacionais.

"Teria que criar algun mecanismo para proteger as empresas já estabelecidas aqui", argumentou o representante do Sintro. A última tentativa de evitar essa licitação foi quinta-feira (10) na Assembléia Legislativa, mas por nove votos a sete, os deputados decidiram manter a decisão de abrir a licitação das linhas intereestaduais.

O sábado foi de mobilização entre o sindicato e as empresas. Os ônibus estão sendo preparados para invadir Cuiabá na terça-feira. O gerente operacional da Viação Xavante, Élio Vilmar Prestes, admitiu a mobilização do setor. Segundo ele, vários funcionários estão temerosos de perder o emprego.

O gerente da Xavante explica que cidades do Norte Araguaia podem ficar sem ônibus direto para Cuiabá e terão que pagar nova passagem em Barra do Garças.

A expectativa é reunir pelo menos cem ônibus e quatro mil pessoas em Cuiabá na terça-feira, por volta do meio-dia, no terminal rodoviário de Cuiabá.

"Nós vamos mostrar que essa licitação vai gerar desemprego no Estado”, finalizou Juarez.
 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%