26/02/2016 às 13h14min - Atualizada em 26/02/2016 às 13h14min

Polícia Civil investiga se gestante teriam feito abortos em hospital

Agência da Notícia
Agência da Notícia

A Polícia Civil do estado do Pará deflagrou esta semana uma operação para combater a prática de abortos clandestinos em hospitais do sul do estado. Tais praticas teriam sido realizadas no hospital municipal materno infantil de Redenção, de onde os investigadores levaram computadores e prontuários médicos.

Parte destes prontuários eram de pacientes de alguns municípios do Norte Araguaia como Confresa e Vila Rica. Segundo a Polícia ainda não é possível afirmar que por consultarem no hospital teriam feito o aborto, mas os casos serão investigados.

Além de possíveis abortos a polícia investiga se os médicos do hospital estariam cobrando para realizarem partos feitos pelo Sus, Sistema Único de Saúde. Os investigadores acreditam que no momento em que mulheres gestantes faziam exames pré-natais na rede particular e na hora do parto os médicos cobrariam valores de até 6 mil reais. Devido ao alto valor, elas acabavam aceitando fazer o parto na rede municipal onde os médicos teriam exigido pagamentos de 2 a 3 mil reais. No caso dos abortos ilegais, o diretor do hospital seria responsável por vender o medicamento "Citotec" pela quantia de R$ 500 e encaminhar as pacientes para os médicos fazerem uma curetagem, procedimento em que são retirados os restos do aborto através de uma raspagem uterina.
 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.0%
3.7%
11.6%
83.7%