26/04/2012 às 12h10min - Atualizada em 26/04/2012 às 12h10min

Servidores da UFMT adiam decisão sobre greve para dia 17 de maio

Olhar Direto
Ascom / UFMT

Durante a quarta-feira (25) de paralisação dos servidores públicos federais, professores e técnicos da Universidade Federal de Mato Grosso decidiram marcar para o dia 17 de maio assembléia geral que vai apreciar o indicativo de greve, caso o governo federal não acate a pauta de reivindicação.

Durante todo o dia, os servidores da UFMT estiveram mobilizados nos campus da capital e interior discutindo esse assunto. Na região do Araguaia, foram realizadas duas reuniões dos professores e dos técnicos através da Adufmat e Sintuf. Em pauta, o não cumprimento do governo federal sobre os 4% prometidos em 2011 como recomposição salarial.

O professor Gilberto Goulart explicou que a categoria afastou qualquer possibilidade de greve agora e marcou uma assembléia para o dia 17 de maio para discutir indicativo de greve. “Vamos aguardar esse prazo e se a negociação com o governo não avançar, vamos decidir dia 17 quando vai começar a greve”, frisou. Tudo indica que seria no dia seguinte, portanto dia 18 de maio.

Os servidores da UFMT fecharam questão de que não vão puxar a fila sobre uma nova paralisação. No ano passado, as grandes universidades do país não aderiram à greve e enfraqueceram o movimento. Ao final ficou o prejuízo do cumprimento do calendário escolar. Para evitar esse transtorno, os servidores querem mais engajamento no movimento e uma negociação aberta por parte da Andes.

Mesmo sendo um dia dedicado a paralisação dos servidores federais, poucas categorias pararam ou protestaram em Barra do Garças no pólo do Vale do Araguaia.  


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se a empresa de Água continuar com serviço irregular, o que deve ser feito pelo prefeito? Deixê a sua opinião internauta

1.6%
5.5%
17.6%
75.2%