08/02/2016 às 14h43min - Atualizada em 08/02/2016 às 14h43min

Genro é preso por furtar cartão da sogra no velório dela e sacar dinheiro

G1 MT
Divulgação/Polícia Civil-MT

Um homem de 33 anos foi preso em flagrante sacando dinheiro com o cartão de aposentadoria da sogra, de 70 anos, já falecida. Ele teria furtado o cartão na casa da idosa, no município de São José dos Quatro Marcos, localizado a 343 km de Cuiabá, durante o velório dela, realizado no último sábado (30).

O genro confessou o crime e está preso na delegacia da cidade desde a última quinta-feira (4). E disse à polícia que o dinheiro seria usado para cobrir gastos e despesas pessoais.
Segundo a Polícia Civil, o genro realizou dois saques e um empréstimo com o cartão. O primeiro saque aconteceu na segunda-feira (1º), no valor de R$ 450, e o segundo foi de R$ 350, realizado na quarta-feira (3). No mesmo dia, ele fez um empréstimo de R$ 1,2 mil - mas, por causa dos procedimentos bancários, o valor só poderia ser retirado após 24 horas.

A polícia prendeu o homem em flagrante na quinta-feira (4), quando ele voltou à agência para sacar o dinheiro do empréstimo.

Segundo o delegado Henrique Trevizan, de São José dos Quatro Marcos, os familiares desconfiaram da movimentação suspeita que ele fazia e relacionaram isso com o fato do sumiço do cartão da idosa.

“Ele começou a aparecer com dinheiro e os outros genros desconfiaram da situação. Nós começamos a acompanhá-lo e montamos um cerco na agência bancária que ele realizou os saques. Quando ele foi retirar o dinheiro do empréstimo, nós o prendemos. Ele não ofereceu resistência e acabou confessando tudo”, afirmou Trevizan.

Após a prisão, o genro entregou o cartão da sogra e alguns extratos bancários. Entre eles, estavam alguns registros de uma transação feita em 2015. “Nós acabamos descobrindo que não é a primeira vez que ele fez isso. Em julho do ano passado, a idosa perdeu o cartão. Ela cancelou e o assunto morreu. Nesse período foi realizado um saque de R$ 1,5 mil, que nós vimos nos extratos. O suspeito confessou que tinha sido ele”, comentou.

O genro da idosa contou à polícia que sabia que a sogra guardava um papel com todos os dados bancários, inclusive a senha, e que ele tinha um outro papel com vários outros dados que o banco solicitava, como a filiação e a data de nascimento do titular da conta.

Ele não tem passagens pela polícia e responderá por furto qualificado continuado, que é quando o crime é cometido por mais de uma vez, e também pelo crime cometido no ano passado.


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.0%
23.7%
1.3%