03/02/2016 às 14h27min - Atualizada em 03/02/2016 às 14h27min

Passageiro morre após ser agredido por motorista de ônibus

G1 MT
Reprodução/Ilustrativa

O técnico de enfermagem Antônio de Siqueira, de 64 anos, morreu nesta quarta-feira (3) após levar uma pancada na cabeça em um ônibus coletivo, na Avenida Fernando Corrêa da Costa, em Cuiabá. Segundo o diretor do Sindicato dos Profissionais de Enfermagem de Mato Grosso (Sinpen), Arlindo César Ferreira dos Santos, houve uma briga entre o passageiro e o motorista, que teria fugido depois da agressão, na segunda-feira (1º).

A vítima foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levada para um hospital particular da capital, onde ficou internada até a madrugada de hoje.

Antônio tinha saído do trabalho, no Pronto-Socorro de Cuiabá, e seguia para a faculdade. No entanto, durante o percurso, ocorreu a discussão. "O que fiquei sabendo é que ele pediu para o motorista parar em um ponto [de ônibus] e ele não parou. Parou só em outro", disse o amigo dele, o enfermeiro Benedito Antônio Campos.

"Ele tinha uma rotina muito agitada. O nome dele era trabalho. Trabalhava em dois empregos e ainda estudava", contou Benedito.

Segundo a Polícia Militar, o motorista deu um golpe na cabeça do passageiro usando um 'objeto amarelo', mas não discrimina o instrumento usado no crime. Quando a PM chegou, ele estava caído no chão. Ainda segundo a polícia, uma testemunha relatou que o passageiro e o motorista estavam discutindo, quando a vítima tinha acabado de descer e estava na porta do ônibus.

No boletim de ocorrência consta que, após a agressão, o motorista fugiu com o ônibus. Ele ainda não havia sido localizado pela polícia até a publicação desta reportagem. A Polícia Civil informou que o caso será investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) para exame de necropsia.


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%