02/02/2016 às 10h36min - Atualizada em 02/02/2016 às 10h36min

Advogado dá versão de cabo para morte de estudante de medicina

Araguaia Notícia
Araguaia Notícia

Na terça-feira (02/02), o advogado Wmarley Lopes Francoarley Franco concedeu entrevista para dar a versão do cabo da Polícia Militar de Goiás (PM-GO) Paulo César Guirra que está preso acusado de matar o estudante de medicina Maurício Rodrigues Pinheiro, na boate Caribe em Barra do Garças no dia 30/01. Segundo o advogado, o militar teria sido agredido por quatro ou seis pessoas e para se defender atirou contra o estudante de medicina que é filho do policial federal Maurício Rodrigues. 

"Nós lamentamos esse incidente profundamente porque perdemos uma vida. Mas até o presente momento ninguém ouviu o Guirra sobre ocorrido. Nós conversamos com familiares e tivemos a informação de que ele foi agredido antes de atirar e certamente as autoridades vão constatar isso durante as investigações", salientou o advogado. 

Franco negou a informação de que o policial estaria exibindo a arma na festa e sobre os disparos que teriam sido muito próximo a vítima, o advogado diz que depende da dinâmica de como ocorreu o fato. Franco falou sobre a vida pregressa de Guirra que recentemente foi promovido a cabo e é considerado um policial exemplar em Goiás. 

"Nós não entendemos porque transferiram ele para Cuiabá sendo que ele poderia ficar aqui no batalhão de Barra do Garças". Sobre a informação de que o pai de Maurício estaria pedindo uma investigação paralela da Federal sobre o caso, o advogado não quis comentar. 

Muitas indagações continuam sobre esse incidente. Se a casa noturna tinha ou não câmeras e se houve a denúncia de que o policial estaria armado no recinto porque ele não foi desarmado antes. 

Acompanhe áudio da entrevista do advogado Franco. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%