06/04/2012 às 12h20min - Atualizada em 06/04/2012 às 12h20min

Vereadores suspeitam de agiotagem em associação

Olhar Direto
Semana 7

Três vereadores de Barra do Garças pediram informações à Prefeitura e à Associação de Servidores Públicos Municipais (ASPM) sobre possível esquema de agiotagem dentro da associação presidida pelo vereador Celson Souza (PV). A denúncia foi formulada pelos vereadores Sávio Carvalho e Miguelão Moreira (PSD) e Odorico Kiko (PT) na última sessão do legislativo barra-garcense.

De acordo com os parlamentares, a denúncia é grave e merece investigação policial porque alguns servidores estariam se endividando ao ponto de comprometer a renda mensal.

O arrocho salarial seria em função dos tíquetes que os servidores recebem no dia 18 de cada mês com os quais podem sacar, em cheques, até 30% do salário. O valor é quitado no mês subseqüente.

Porém, esse mecanismo está virando uma bola de neve e levando ao endividamento dos servidores. Segundo os parlamentares, alguns funcionários pediram desligamento da ASPM por causa desse procedimento.

“A gente sabe que tem funcionário com holerite zerado em função desses empréstimos, é difícil puxar pra fora a língua do cara, ninguém quer falar. Tem medo do vereador e do prefeito”, diz Miguelão.

Por sua vez, o vereador Celson se defende dizendo que não existe agiotagem dentro da ASPM, que ocupa uma sala no bloco 3 da prefeitura.

“Não há agiotagem de espécie alguma, embora eu não possa responder pelo que acontece depois das paredes da ASPM. Eu não posso me responsabilizar pelo que o servidor faz com a folha do cheque dele. Sei apenas que devo pagá-la quando ela retorna ao nosso balcão”.

O vereador do PV disse que não procede a insinuação de agiotagem muito menos de que associação empresta dinheiro para obtenção de lucros. Com informações do Semana 7.
 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.0%
23.7%
1.3%