03/04/2012 às 19h12min - Atualizada em 03/04/2012 às 19h12min

Integrantes do Novo Cangaço deixam carro e provocam terror

Olhar Direto
PM - Bom Jesus do Araguaia / O Repórter do Araguaia

Dois integrantes do Novo Cangaço, modalidade criminosa de assaltos a banco com terror, abandonaram um carro e levaram pânico à população de Novo Santo Antônio, município de dois mil habitantes a 1.100 km de Cuiabá. Talvick Marcelo Lemos da Conceinção e Dione da Silva Cardoso, conhecido como Gordin, considerados de alta periculosidade, passaram pela cidade e se esconderam no mato.

Na ficha deles consta vários crimes de assalto a banco, assassinato de policiais e sequestro nos estados do Maranhão, Piaui, Pará e no Distrito Federal.

Dione ostenta no corpo uma tatuagem que diz “não se iluda com o meu sorriso, pois ele é máscara da minha maldade’. Os criminosos estavam no dia 28 de março visitando uma mulher em Novo Santo Antônio quando a polícia recebeu a informação sobre eles e foi atrás.

Os bandidos abandonaram o Corsa verde, placas KLF 0382 de Barreiros-PE e empreenderam fuga num matagal nos fundos da casa que eles estavam visitando.

Na residencia, estava uma amásia de Gordin juntamente com duas crianças. Uma de cinco meses de idade está sem documento.

Gordin estaria armado com dois fuzis e duas espingardas calibre 12. Ele é acusado de matar um policial militar em Brasília-DF e participar dos assaltos aos Correios em Sambaíba-MA e Campos Lindos-PI, da tentativa de roubo ao Banco do Brasil de Tasso Fragoso-MA, no dia 28/11/2011, e do sequestro do gerente dos Correios de Montes Altos, no dia 26/01/2012 e roubo de uma camionete S10 e espancar um policial na frente da famiília em Riachão-MA.

A ficha de Talvick não é muito diferente. Acusado de diversos assaltos a banco no interior do Maranhão e Pará, ficou conhecido como integrante do bando do Tucurui, quando em 2003, assaltou o Banco do Brasil de Tucurui que resultou na morte de um Policial Militar. Ele faz parte da quadrilha do Pânico e cumpriu pena no presídio de Catanduvas-SP, momento em que ingressou no PCC.

O tenente Roy acredita que os elementos já não estão mais na região e devem ter retornado para Goiás ou seguido sentido o Pará.

Com informações de O Repórter do Araguaia e Polícia Militar
 


Notícias Relacionadas »
Comentários »

Com UTIs lotadas, Barra do Garças deve ou não aderir lockdown? 3 pacientes aguardam vagas

75.1%
23.6%
1.3%