10/09/2015 às 15h56min - Atualizada em 10/09/2015 às 15h56min

No dia mundial de prevenção ao suicídio, pesquisa levanta este assunto na Barra

Alisséia G. Lemes

Araguaia Notícia Depressão profunda pode ser um sinal

O dia 10 de setembro é a data escolhida pela Organização Mundial de Saúde (OMS), como o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio. O Suicídio é uma triste realidade que retira a vida de milhares de pessoas em todo o mundo. Mas, pode ser evitado, especialmente por meio suporte psicológico. Todos os anos são registrados cerca de dez mil suicídios no Brasil e mais de um milhão em todo o mundo.

Como vimos, o suicídio é uma realidade presente em todo o mundo, e não é diferente em nossa região mato-grossense. Foi realizado um estudo retrospectivo em Barra do Garças-MT, por acadêmicos do curso de Enfermagem, membros do grupo de pesquisa em Saúde Mental da UFMT/CUA, avaliando os prontuários atendidos em um Pronto Socorro público no período de 01 ano, observou-se que 0,05% dos atendimentos corresponderam por tentativa de suicídio.

O suicídio pode ser definido como um ato deliberado executado pelo próprio individuo, cuja intenção seja a morte, de forma consciente e intencional, mesmo que ambivalente, usando um meio que ele acredita ser letal. Trata-se de um comportamento com causas multifatoriais e resultado de uma complexa interação de fatores psicológicos e biológicos, inclusive genéticos, culturais e socioambientais. Por isso, deve ser considerado como o desfecho de uma serie de fatores que se acumulam na história do indivíduo, não podendo ser considerado de forma causal e simplista apenas a determinados acontecimentos pontuais da vida do sujeito. É a consequência final de um processo.

Também fazem parte do que habitualmente chamamos de comportamento suicida: os pensamentos, os planos e a tentativa de suicídio. Estudos comprovam que na população brasileira ao longo da vida cerca de 17% das pessoas pensaram, em algum momento, em tirar a própria vida. A tentativa de suicídio é considerada uma emergência psiquiátrica por provocar lesões de grau variado. Estima-se que as tentativas sejam vinte vezes mais frequentes que os suicídios consumados.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, para cada óbito por suicídio, existem pelo menos cinco ou seis pessoas próximas ao falecido, cujas vidas, são profundamente afetadas emocionalmente, socialmente e economicamente.

A prevenção não deve se iniciar apenas nos centros com foco em saúde mental, mas, deve ser observada em todos os âmbitos do sistema de saúde. Sabe-se hoje que praticamente 100% dos suicidas tinham uma doença mental, muitas vezes não diagnosticada e não tratada. De fato, dos que morrem por suicídio, cerca de 50% a 60% nunca se consultaram com um profissional de saúde mental ao longo da vida.

A Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) ressalta que falar sobre o suicídio não aumenta o risco. Muito pelo contrário, falar com alguém sobre o assunto pode aliviar a angústia e a tensão que esses pensamentos trazem. Diante do exposto, o grupo de pesquisa e extensão em Saúde Mental da UFMT, Campus Araguaia,está engajado na campanha Nacional da ABP intitulada “Falar é a Melhor Solução”, como o objetivo de educar, derrubar os tabus e compartilhar informações sobre o suicido.

Estão sendo executadas no mês de setembro ações de prevenção ao suicídio, às atividades estão sendo realizadas por meio de palestras informativas e roda de conversas, com internos de Comunidades Terapêuticas, funcionários de empresas privadas, alunos de escola profissionalizante e alunos de escolas públicas de Barra do Garças-MT.

Vamos mudar essa realidade, neste setembro amarelo, mês internacional de prevenção ao suicídio, vamos discutir o assunto. Todos podem ser a favor da vida, mobilize-se pela prevenção das mortes prematuras e busque ajuda!

 

Alisséia G. Lemes
Docente curso Enfermagem UFMT/CUA
Disciplina Enfermagem em Saúde Mental
Coordenadora do Proj. Extensão e Pesquisa em Saúde Mental
Terapeuta Comunitária Integrativa em Formação (UFMT/UFPB)
 

Referências

ALMEIDA, S. A.; GUEDES, P. M. M.; NOGUEIRA, J.A.; FRANÇA, U. M.; SILVA, A. C. O.; Investigação de risco para tentativa de suicídio em hospital de João Pessoa- PB. Rev. Eletr. Enf.2009;11(2):383-9.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PSIQUIATRIA. Suicídio: informando para prevenir/Associação Brasileira de Psiquiatria, Comissão de Estudos e Prevenção de Suicídio. Brasília: CFM/ABP, 2014.

PORDEUS, A. M. J.; CAVALCANTI, L. P. G.; VIEIRA, L. J. E. S.; CORIOLANO, L. S.; PONTE, M. S. R.; BARROSO, S. M. C.. Tentativas e óbitos por suicídio no município de Independência, Ceará, Brasil.Ciência & Saúde Coletiva, 14(5):1731-1740, 2009
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Estamos reformulando o site Araguaia Notícia. O que você achou?

37.7%
19.2%
43.1%
Moeda Valor
Dólar 3.0886
Euro 3.2792
Peso Argentino 0.1974
Bitcoin 3340